Para muitos, a coisa mais memorável do sucesso da Disney, Frozen, é “Let It Go”, uma música contagiante que é amada por todos. Entre as muitas outras coisas fantásticas que transformaram o filme de animação em um sucesso, está a magia de suas duas irmãs principais – literalmente.

No primeiro Frozen, a Princesa Arendelle Elsa (dublada por Idina Menzel) possui habilidades mágicas que lhe dão o poder de criar e controlar gelo e neve. Mas quando uma jovem Elsa machuca acidentalmente sua irmã mais nova, Anna (Kristen Bell), o rei e a rainha têm uma reação exagerada.

Eles limpam as memórias de Anna, forçam Elsa a suprimir seus poderes e distanciam as duas meninas do público – e uma à outra. Depois que seus pais se perdem no mar, Elsa assume o papel de governante antes de acidentalmente revelar seus poderes à corte, ganhando o desprezo de seus súditos.


Ela foge e constrói para si um castelo de gelo e, sem querer, coloca Arendelle sob uma nuvem de inverno eterno. Anna decide encontrar sua irmã e se junta a um homem do gelo chamado Kristoff (Jonathan Groff), sua rena, Sven, e um boneco de neve alegre e de fala rápida, Olaf (Josh Gad), trazido à vida pelos poderes de Elsa.

O filme foi elogiado por suas mensagens sobre amizade e irmandade, mas também deixou as telespectadoras com uma pergunta importante: se Elsa tinha poderes, por que Anna não? Frozen não resolve isso, mas em sua sequência de tema mais pesado, Frozen 2, a Disney aproxima os fãs um pouco da verdade.

Quando Elsa ouve uma voz chamando por ela uma noite, ela a segue e acidentalmente desperta quatro poderosos espíritos elementares. Ela e seus amigos decidem acertar as coisas com os elementos, uma missão que revela as origens dos poderes de Elsa e sua conexão mágica com a mãe.

Por que Anna não possui poderes?

Uma das maiores críticas a Frozen 2 foi o quão vagamente abordou a mitologia de seu universo e, finalmente, o pouco que respondeu sobre o relacionamento mágico de Anna com seus pais. Permanecer vago sobre Anna faz sentido, pelo menos do ponto de vista comercial, pois preserva algum espaço narrativo para filmes futuros.

Isso aponta para a primeira razão pela qual Anna pode não ter poderes como Elsa – ainda não os vimos. Ainda há coisas no ar sobre o relacionamento de Iduna com os elementais e até os poderes de Elsa, por isso faz sentido que a Disney esteja guardando outra grande revelação para ajudar a despertar o entusiasmo para uma terceira parte após o sucesso de Frozen 2.

Mas além do potencial da sequência, poderia ser apenas o filme passando por uma série de tópicos, incluindo dicotomias de poder e discordâncias entre irmãs. Os perfis de personalidade de Anna e Elsa já estão em oposição, e Elsa poderia ser considerada a irmã fisicamente mais forte devido a seus poderes.

Talvez o poder de Anna seja algo mais cerebral? Também existe uma terceira possibilidade, e é que Anna e Elsa representam o equilíbrio entre natureza e humanidade.

Elsa é a manifestação física da ligação entre humanos e elementais mágicos, enquanto Anna é radicalmente humana. Dentro de seu relacionamento, Elsa representa a magia de seu mundo, enquanto Anna representa as pessoas comuns que também o habitam.

Como seus pais – e como a natureza -, Anna e Elsa são o equilíbrio necessário para manter a paz. Qualquer uma ou várias dessas teorias podem explicar a falta de poderes de Anna, mas sem uma resposta clara do filme, os fãs terão que esperar para ver se a Disney entrega as respostas em um terceiro filme de Frozen.

Frozen 2, da Disney, está agora disponível no Amazon Prime Video, no Brasil.