Em 2007, A Cabana foi lançado e se tornou um sucesso mundial. O livro de William P. Young comoveu fãs de mais de 30 países com uma história trágica de um pai.

Porém, desde aquele ano, uma polêmica crescia. Essa situação apenas aumentou quando, em 2017, A Cabana se tornou um filme.

Nos Estados Unidos, a Igreja Metodista Unida não aprovou a história de A Cabana. O motivo é que a trama “não usa os ensinamentos bíblicos”.


Na época de lançamento de A Cabana, o pastor Ben Matherly usou o Facebook para criticar a trama. Além disso, usou citações de um colega, Albert Mohler Jr., que fez críticas ainda ao livro.

A acusação é de A Cabana usa uma interpretação livre. Uma das reclamações é uma frase do personagem Deus do livro que ficou famosa: “Eu não preciso punir o pecado, não é meu propósito punir o pecado”.

Matherly e Mohler defendem que a consequência do pecado é a morte e a perda da vida eterna.

Apesar das reclamações, A Cabana agradou muitos espectadores. Para fãs, a trama é sobre o perdão, o que também é uma importante mensagem.

História de A Cabana

A Cabana segue a história de Mack Phillips. O homem perde a fé após a filha ser sequestrada e assassinada.

Anos mais tarde, Mack recebe um bilhete misterioso. Ele pede para que o homem volte até a cabana onde o crime teria acontecido. Lá, tem uma surpresa.

O elenco é liderado por Sam Worthington, de Avatar. A Cabana tem ainda Octavia Spencer e a brasileira Alice Braga.

O filme tem direção de Stuart Hazeldine.

A Cabana está disponível em plataformas digitais.