Lindinhas, um dos mais recentes filmes da Netflix, tem gerado muita polêmica nas redes, com muitos acusando o filme de sexualizar garotas menores de idade, promovendo a pedofilia. Isso, aparentemente, causou um pico de cancelamentos na plataforma.

Segundo a empresa de pesquisa de dados, YipitData, via Variety, apenas um dia após o lançamento do filme (em 9 de setembro), o número de cancelamentos na plataforma começou a subir.

Em 12 de setembro, a taxa de cancelamentos nos EUA se tornou quase oito vezes maior que os números diários obtidos de agosto de 2020. A companhia, no entanto, não entregou os números exatos, mas disse que esse crescimento nos cancelamentos pode continuar nos próximos dias.


Esse aumento coincide com o lançamento de Lindinhas e a campanha nas mídias sociais para boicotar a gigante do streaming.

Resta aguardar para saber como a Netflix vai reagir a essa repercussão negativa de Lindinhas.

Netflix e a diretora se manifestam

Com toda essa polêmica, a Netflix já fez uma declaração sobre o filme.

“É um filme ganhador de prêmios e uma poderosa história sobre as pressões que jovem garotas enfrentam nas mídias sociais e da sociedade em geral, enquanto crescem – encorajamos todos que se importam com essas questões a assistirem o filme”, disse um representante da Netflix.

Agora, no Brasil, um vídeo legendado com a diretora e roteirista Maïmouna Doucouré foi divulgado. A cineasta revela a inspiração para Lindinhas e o real significado do filme que está na Netflix.

A diretora explica a intenção do filme – que não é a promoção dos temas citados pelos internautas. A personagem principal precisa se descobrir entre “dois modelos de feminilidade”, o que inspira a história de Lindinhas.

“Um representa as origens tradicionais da sua mãe e o outro é um grupo de garotas jovens chamado de Mignonnes. A ideia surgiu quando, um dia, numa reunião de vizinhos em Paris, um grupo de dançarinas bem jovens subiu ao palco e dançou de forma que costumamos ver em clipes e fiquei surpresa pela idade delas”, contou a diretora.

A cineasta ficou espantada ao ver que as meninas tinham 11 anos. Assim, Maïmouna passou um ano e meio pesquisando sobre isso e conversou com pré-adolescentes para conhecer as histórias delas.

A diretora acabou percebendo algo preocupante. Dessa forma, nasceu Lindinhas, que também traz uma crítica sobre a sexualização de crianças.

“Nossas garotas veem que, quanto mais uma mulher é sexualizada nas redes sociais, mais bem sucedida ela é. As crianças apenas imitam o que veem, tentando alcançar o mesmo resultado sem entender o significado. E sim, é perigoso”, completou a cineasta.

A personagem principal também é inspirada na vida pessoal da diretora. A cineasta da Netflix tem pais de Senegal e nasceu na França, o que dá uma origem cultural dupla para ela.

“Aos 11 anos, Amy começa a se rebelar contra as tradições conservadoras da família e encontra seu lugar em um grupo de dança da escola”, diz a sinopse da Netflix.

Lindinhas pode ser visto na Netflix.