Simu Liu foi anunciado como o Shang-Chi dos cinemas na San Diego Comic-Con de 2019, pelo próprio presidente da Marvel Studios, Kevin Feige. Agora, o astro fez uma crítica nada discreta à Mulan, também da Disney.

O ator sino-canadense criticou a forma como pessoas chinesas são retratadas em Mulan e outros filmes ocidentais. Ele não chega a citar o filme da Disney diretamente, mas, considerando que a obra foi lançada recentemente, ele só pode estar falando disso.

“Já volto, preciso pensar sobre minha honra pela quarta vez nesta hora. É muito importante para mim, como vocês podem ver em filmes que o seu povo faz sobre o meu”, tuitou o ator da Marvel.


Mulan chegou a fazer algumas mudanças em seu roteiro em relação ao original, para criar algo mais culturalmente sensível.

Ainda assim, vale notar que a grande maioria da equipe do filme não é de origem ou ascendência chinesa. A própria diretora de Mulan é neozelandesa e os roteiristas não são chineses.

Veja o tweet original, abaixo.

Mais polêmica

O remake em live-action de Mulan chegou no Disney+ dos Estados Unidos a partir de um pagamento extra e já está dando o que falar. Mas, o tema não tem relação com a história do filme.

Alguns fãs aproveitaram o lançamento na plataforma de streaming, que ainda não chegou no Brasil, para tentarem boicotar o longa da Disney. A polêmica nasce por conta da protagonista de Mulan, Liu Yifei.

Internautas do mundo inteiro não aprovaram o fato da atriz ter apoiado a polícia que lutou contra os protestos a favor da democracia em Hong Kong, ainda na metade de 2019. Muitos não esqueceram disso e voltaram a pedir o boicote do filme da Disney.

O tema virou assunto do momento no Twitter, com a hashtag em inglês. Espectadores até notaram como o assunto ficou junto do anúncio da estreia de Mulan, pago pela Disney na plataforma.

Desde 2019, diversos cidadãos de Hong Kong protestam contra uma lei que permite que as pessoas do território sejam extraditadas para China. Além disso, pedem uma reforma democrática e o fim da ação policial brutal.

A estrela de Mulan decidiu dar a opinião dela no Weibo, rede social chinesa. A mensagem não agradou os fãs do filme e da Disney.

“Eu apoio a polícia de Hong Kong. Vocês podem me atacar agora. Que vergonha para Hong Kong”, opinou a atriz.

“A atriz principal apoia a brutalidade policial”, disse um fã.

“Se você como pessoa tem o princípio de ser contra a brutalidade policial, então você deve boicotar Mulan”, afirmou outra.

“Eu não ia apoiar o movimento, mas a atriz principal apoia a brutalidade policial? Lixo”, postou uma internauta.

Até o momento desta publicação, a plataforma tinha quase 200 mil menções sobre o tema. Confira abaixo as reações.

Inicialmente, o Disney+ chega por aqui em 17 de novembro. Assim, os detalhes da estreia de Mulan ainda precisam ser anunciados no Brasil.