A Marvel pode ser uma gigante do entretenimento hoje em dia, mas nem sempre a companhia esteve em um cenário tão favorável. Em 1996, a situação financeira da companhia estava tão ruim que eles tiveram de declarar falência.

Foi nessa época que eles acabaram vendendo os direitos de adaptação de vários de seus mais icônicos personagens, como X-Men e Quarteto Fantástico para a Fox, além do Homem-Aranha para a Sony. Isso essencialmente salvou a editora.

O tempo passou e a Marvel viu que poderia entrar no mercado cinematográfico diretamente e começou a fazer planos para o seu primeiro filme, que viria a ser Homem de Ferro.


Obviamente, isso custaria muito dinheiro e, embora não estivesse em uma situação tão ruim quanto em 1996, a Marvel ainda não tinha capital suficiente para tal investimento. Nesse ponto, segundo o The Things, eles foram até o banco Merril Lynch para um empréstimo de 525 milhões de dólares.

Obviamente, o banco simplesmente não daria essa quantidade sem ter alguma garantia, caso o filme não desse certo. Foi nesse ponto que, como garantia, a Marvel ofereceu os direitos de adaptação de várias outras propriedades suas.

Aposta arriscada

Assim sendo, caso o primeiro filme, Homem de Ferro, não desse certo, a Marvel teria perdido os direitos de: Capitão América, Vingadores, Nick Fury, Pantera Negra, Homem-Formiga, Manto e Adaga, Doutor Estranho, Gavião Arqueiro, Power Pack e Shang-Chi.

Em outras palavras, nenhum filme dos Vingadores teria acontecido e o Universo Cinematográfico Marvel, possivelmente, não existiria.

Felizmente, a aposta deu certo e Homem de Ferro foi um grande sucesso, dando início à franquia cinematográfica mais bem-sucedida da História.

Atualmente, a Marvel conta com os direitos de todos os seus personagens, exceto aqueles ligados ao Homem-Aranha – visto que esses estão nas mãos da Sony.

O próximo filme da Marvel a chegar aos cinemas é Viúva Negra, previsto para o fim de outubro de 2020.