O novo documentário da Netflix, O Dilema das Redes, visa as mídias sociais, revelando por que o Twitter, o Facebook e similares são mais assustadores do que parecem.

O ano de 2020 viu o mundo enfrentar uma crise após a outra, enquanto as populações se tornam cada vez mais divididas politicamente e as coisas geralmente parecem balançar à beira do esquecimento.

E de acordo com O Dilema das Redes, da Netflix, o problema – pelo menos em parte – são as mídias sociais e a indústria de tecnologia.


A noção de que a mídia social pode ser prejudicial certamente não é nova – na verdade, há uma série de filmes de terror baseados em mídia social, incluindo o melhor filme de terror de 2020, Host.

Mas o documentário de Jeff Orlowski atinge um ponto preocupante devido ao fato de seus avisos virem diretamente de membros da indústria de tecnologia e ex-funcionários de empresas de mídia social, alguns dos quais na verdade ajudaram a construir os aplicativos sociais que agora condenam.

O Dilema das Redes alavanca o conhecimento especializado desses renegados da tecnologia para pintar um quadro assustador de uma nova economia digital que transforma os indivíduos – e especificamente sua atenção – em produtos a serem vendidos com fins lucrativos.

Usando como base o trabalho do ex-especialista em ética de design do Google e cofundador do Center for Humane Technology, Tristan Harris, o documentário de Orlowski levanta a ideia de uma indústria que aparentemente conseguiu não apenas manipular secretamente a consciência dos usuários, mas realmente ajudar desestabilizar a ordem mundial atual.

O problema com redes sociais

Como afirmam os entrevistados nos momentos de abertura do filme, resumir o problema com as redes sociais é difícil.

Felizmente, Orlowski faz um bom trabalho ao tornar acessível uma questão complexa, movendo-se constantemente por uma lista de questões cada vez mais perturbadoras que, em última análise, equivalem a uma acusação devastadora contra a mídia social e a tecnologia.

O diretor de Perseguindo o Gelo permite que cada colaborador – desde o designer do botão “Curtir” do Facebook ao criador do algoritmo de recomendação do YouTube – explique claramente por que os aplicativos que ajudaram a criar agora estão minando a ordem social.

Usando esse método, junto com uma dramatização ficcional da mídia social degradando uma família inteira, o documentário fornece informações perturbadoras o suficiente para fazer a maioria dos espectadores considerar a exclusão de seus aplicativos sociais.

No Brasil, O Dilema das Redes já está disponível na Netflix.