A Rede Social 2 pode acontecer – mas existe uma condição

Publicadohá pouco tempo
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Uma sequência de A Rede Social pode estar nos planos se David Fincher concordar em dirigir novamente, disse o roteirista Aaron Sorkin. O filme biográfico que narra a criação do Facebook por Mark Zuckerberg durante seu tempo em Harvard acabou de celebrar seu 10º aniversário.

O roteiro do criador de West Wing: Nos Bastidores do Poder para o primeiro filme foi baseado em uma biografia do inventor do Facebook por Ben Mezrich intitulada “The Accidental Billionaires”, que Sorkin adaptou em um drama sobre disputas de propriedade intelectual entre os co-fundadores do Facebook após seu sucesso.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

No filme, um jovem Zuckerberg (Jesse Eisenberg) colabora em várias versões do “proto-Facebook” com colegas de Harvard, incluindo os gêmeos Winkelvoss, ambos interpretados por Armie Hammer, e Eduardo Saverin (Andrew Garfield).

À medida que o Facebook cresce em popularidade com a ajuda do cofundador do Napster, Sean Parker (Justin Timberlake), os ex-amigos e colegas de Zuckerberg inevitavelmente se tornam seus inimigos financeiros.

Sorkin discutiu sobre o potencial para uma continuação do aviso do primeiro filme sobre o “lado negro” das mídias sociais com o apresentador Josh Horowitz do Happy Sad Confused, um podcast da MTV.

Tanto o roteirista quanto o produtor Scott Rudin estão entusiasmados com a ideia de uma sequência de A Rede Social, mas Sorkin disse que só vai assinar se Fincher voltar para dirigir.

“Eu quero ver isso. E Scott Rudin quer ver isso. As pessoas têm falado comigo sobre isso porque descobrimos que é o lado negro do Facebook. Eu quero escrever esse filme? Sim. Só vou escrever se David dirigir.”

“Se Billy Wilder voltasse do túmulo e dissesse que queria dirigi-lo, eu diria que só o faria com David.”

Possibilidade de sequência

No início de 2019, Sorkin expressou interesse em revisitar a história que lhe rendeu um Oscar de Melhor Roteiro, dizendo que “muitas coisas dramáticas e interessantes aconteceram desde o fim do filme”.

No Happy Sad Confused, Sorkin revelou que desde então se encontrou com Roger McNamee, um investidor do Facebook e autor da biografia de Mark Zuckerberg, “Zucked”, sobre outro filme.

Sem surpresa, Sorkin disse que nem Zuckerberg nem o diretor de operações do Facebook, Sheryl Sandberg, parecem interessados ​​no projeto, que provavelmente faria uma análise crítica do site se viesse a ser concretizado.

Considerando a influência não quantificável do Facebook na cultura e na política, um filme sobre o site poderia ir em qualquer direção; na verdade, muitos filmes sobre mídia social já foram feitos.

Sorkin sugeriu que A Rede Social 2 se limitaria a detalhes da história de McNamee, que “termina” com o investidor “informando os membros do subcomitê de Inteligência do Senado sobre como o Facebook está derrubando a democracia”.

A Rede Social é um drama interessante porque se concentra nas disputas específicas dos cofundadores do site, em vez de tentar uma mensagem vaga sobre o impacto da tecnologia na sociedade.

A direção de Fincher é o suficiente para evocar a solidão inerente à mídia social, bem como um sentimento geral de pressentimento de que o Facebook provaria ser muito mais do que uma startup de tecnologia.

Uma sequência envolvendo McNamee como um personagem, com Sorkin escrevendo e Fincher dirigindo, poderia certamente se transformar em um empolgante drama político se permitir que seus personagens falem por si mesmos.

A Rede Social estreou em 2010, fazendo sucesso com público e crítica.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio