O Pennywise da adaptação mais recente de It: A Coisa é uma figura realmente aterrorizante e nem tudo se deve a efeitos especiais e computação gráfica. Há algo marcante sobre o personagem que é fruto de uma habilidade do ator que o interpreta.

Além de toda a caracterização de Pennywise, um dos aspectos que mais chama a atenção no personagem é o seu estrabismo. Ocasionalmente ele aparece com os olhos cada um para uma direção diferente e isso é algo que o próprio ator Bill Skarsgard consegue fazer e emprestou para sua versão do personagem.

O ator chegou a demonstrar isso em entrevista, mexendo os seus olhos para direções diferentes.


O curioso é que nem todos aqueles que trabalharam nos filmes sabiam disso. O intérprete de Richie adulto, Bill Hader, ficou assustado com isso quando ficou sabendo a verdade.

Certamente, caso tivessem sido usados efeitos especiais, o resultado não teria sido tão bom quanto o que vimos em tela e o Pennywise de Bill Skarsgard, sem dúvidas, é um dos melhores aspectos de It: A Coisa.

Veja a foto do ator, abaixo.

Teoria assustadora

Em It: A Coisa, a criatura titular majoritariamente assume a forma do palhaço Pennywise e constantemente aparece segurando um balão, ou em meio a esses objetos. Uma teoria dá um significado a mais, e bastante assustador, para esses balões.

Como descobrimos no filme, Pennywise, ou a Coisa, na realidade é uma entidade de outra dimensão. Eventualmente as crianças conseguem derrotá-lo, mas depois de descobrirem sobre seu lar, onde “todos flutuam”.

Além disso, a dimensão de Pennywise é descrita como um local repleto de luzes laranjas, como balões.

Aí entra a teoria. Ela aponta que os balões que Pennywise segura, na realidade, contém as almas de suas vítimas.

Ele utiliza os balões em um simbolismo praticamente literal, lembrando sua verdadeira aparência, com a corda do balão remetendo ao seu visual similar a aranha gigante.

Com isso, todas as vezes que vemos algum balão em It: A Coisa, na realidade seria uma vítima de Pennywise presa, em essência, ali dentro.

Obviamente, trata-se apenas de uma teoria, mas pode muito bem ser aceita como verdade pelos fãs. Afinal, toda obra é aberta a interpretações.