ALERTA DE SPOILERS

Os 7 de Chicago acaba na Netflix com o fim do julgamento que ficou conhecido pela história. Ativistas norte-americanos foram acusados de causar a batalha entre manifestantes e policiais durante a Convenção Nacional Democrata de 1968.

Os grupos de manifestantes queriam protestar contra a guerra do Vietnã, pedindo o fim dela. Porém, por erro da prefeitura, a situação se tornou um trágico episódio dos EUA, terminando com centenas de feridos.

A situação foi levada aos tribunais, em um julgamento político e polêmico – como mostrado em Os 7 de Chicago. Os ativistas estavam enfrentando o governo e o próprio juiz nos tribunais.


No fim do filme da Netflix, a história acaba quando Tom Hayden começa a ler o nome de 5 mil soldados mortos no Vietnã. A lista era das mortes que aconteceram durante o período do julgamento.

Depois, antes dos créditos, é revelado que cinco dos sete manifestantes foram condenados a 5 anos de prisão. Porém, o julgamento foi revertido após uma apelação.

Os acusados iriam para um novo julgamento – que nunca chegou a acontecer.

Após o filme da Netflix, muitos fãs querem saber o final de Os 7 de Chicago, trazendo a leitura dos nomes dos 5 mil soldados mortos no Vietnã, é real.

A verdade sobre Os 7 de Chicago

Como cita Tom Nicholson, da Esquire, “o final de Os 7 de Chicago é Hollywood puro”. Ou seja, na vida real Hayden não chega a ler o nome dos soldados mortos no Vietnã.

Além disso, o jornalista chama atenção para outro ponto. O advogado do governo, Richard Schultz, era “agressivo” na vida real – bem diferente do que é retratado por Joseph Gordon-Levitt. Assim, não teria se levantado se isso tivesse acontecido.

O discurso real feito no julgamento foi descrito como “comovente”. Na vida real, os acusados tratam sobre pontos como o racismo e a injustiça – pegando exemplos das próprias situações que aconteceram naquele tribunal.

Outro ponto que não é abordado no final é Bobby Seale, o líder dos Panteras Negras. A figura é tirada do julgamento e os fãs só sabem nos créditos o que acontece.

Na vida real, Seale é realmente tirado do julgamento. Mas, é condenado por desacato por chamar o juiz Hoffman de racista. O ativista passou 4 anos na prisão e foi solto em 1972.

“O que era para ser um protesto pacífico se transformou em um confronto violento com a polícia, e o resultado foi um dos julgamentos mais famosos da história”, diz a sinopse da Netflix.

Os 7 de Chicago está disponível na Netflix.