Alerta de spoilers!

A nova adaptação de Rebecca – A Mulher Inesquecível, da Netflix, apresenta a protagonista sem nome vivida por Lily James. Ela se torna a segunda Sra. de Winter, mas jamais ficamos sabendo o nome de solteiro dela. Veja o porquê.

Embora seja algo bastante incomum (mas não inédito), a escolha de deixar a protagonista sem nome veio da própria autora do romance original, Daphne du Maurier.

O livro chega a trazer algumas dicas sobre o nome da personagem que é vivida por Lily James no filme da Netflix. Em dado momento ela chega a dizer que é raro ver seu nome escrito corretamente.


Já em outro ponto, Maxim chega a dizer que ela “tem um nome adorável e incomum”.

Nesses mais de 70 anos desde a publicação de Rebecca – A Mulher Inesquecível, muito especulou-se sobre o nome da segunda Sra. de Winter. Uma teoria popular é que a personagem é chamada Daphne du Maurier. A autora teria se inserido na trama e isso combinaria com o fato de ser um nome incomum.

De fato, todo esse mistério envolvendo o nome da protagonista corresponde ao fato dela não gostar de falar sobre sua família, além de servir, claro, para acrescentar mais suspense à trama.

Em todo caso, já vimos situações similares em A Estrada, Clube da Luta e o recente Tenet, com seus protagonistas não nomeados.

Netflix mudou o final

O clímax de Rebecca – A Mulher Inesquecível no filme da Netflix e no livro original traz a revelação de que a personagem titular era sociopata e infiel. Quando seu corpo é descoberto, Maxim confessa ter atirado nela e ter escondido seu corpo e o afundado no oceano. Existem diferenças, contudo, entre o desfecho do filme da Netflix e o romance original.

A investigação sobre a morte de Rebecca é diferente no livro, não acontece de forma pública, ou em um tribunal, como é o caso do filme, tampouco termina com a prisão de Maxim.

Em linhas gerais, o final é o mesmo, com o primo de Rebecca, Jack Favell apresentando uma mensagem da noite da morte da personagem titular, levando à dúvida o veredito de suicídio. Mas a maneira como encontraram o doutor que diagnosticou o câncer de Rebecca é diferente.

No livro, a busca pelo Dr. Baker é algo menos dramático. Maxim, o Inspetor, Jack e a narradora sem nome esperam até o dia seguinte para descobrirem o porquê dela ter marcado a consulta.

O filme traz mais drama, com a narradora sem nome chegando a dirigir até Londres sozinha para descobrir a verdade, com o Inspetor na sua cola. O resultado final, contudo, é o mesmo: descobrimos que o câncer de Rebecca era terminal.

O livro original de Rebecca – A Mulher Inesquecível termina com a sugestão de Manderley queimando. Maxim e a narradora sem nome estão dirigindo de Londres, após limparem o nome de Maxim e notam um clarão vermelho no horizonte.

A narradora sem note acha que trata-se do amanhecer, mas a reação de Maxim e as cinzas entregam a verdade, de que Manderley está em chamas.

O filme continua depois desse ponto e mostra como estão os funcionários do local, além de revelar o que aconteceu à Sra. Danvers.

Essa é uma das maiores diferenças em relação ao livro original. No livro, somente é indicado que Danvers ateou fogo em Manderley. No filme, contudo, chegamos a vê-la jogando gasolina e acendendo o fogo, além de confessar o crime e seus sentimentos por Rebecca.

Pouco após sua confissão ela se suicida, jogando-se no mesmo mar em que Rebecca se afogou.

O livro dá a entender que Danvers sobreviveu após o incêndio e a narradora sem nome chega a se perguntar, nos capítulos iniciais, o que Danvers está fazendo desde tais eventos.