No começo dos anos 2000, a Warner Bros. resolveu que era uma boa hora de fazer uma adaptação em live-action de Scooby-Doo.

O primeiro filme chegou aos cinemas em 2002, fazendo sucesso de bilheteria. A sequência rapidamente foi aprovada e colocada em desenvolvimento.

Scooby-Doo 2: Monstros à Solta estreou em 2004 e teve uma arrecadação decepcionante em comparação com o original.


O fracasso fez com que a Warner Bros. encerrasse os planos para um terceiro filme. Mas os dois primeiros longas continuam sendo nostálgicos para parte do público.

Recentemente, os dois primeiros filmes em live-action de Scooby-Doo voltaram a ser muito comentados depois de terem sido adicionados ao catálogo da Netflix.

Isso fez com que o interesse por eles fosse renovado, e talvez seja uma boa hora para descobrir curiosidades interessantes sobre seu desenvolvimento. Você sabia, por exemplo, que Velma seria revelada como lésbica no primeiro filme?

Velma foi escrita como lésbica no roteiro original

Em 2020, um fã pediu ao escritor de Scooby-Doo, James Gunn, para “transformar os sonhos de Velma lésbica em live-action em realidade”.

Ele respondeu: “Eu tentei! Em 2001, Velma era explicitamente lésbica em meu roteiro inicial.”

“O estúdio continuou diluindo cada vez mais, tornando sua sexualidade ambígua (versão que filmamos), aí nada (a versão lançada) e depois com um namorado (a sequência).”

A revelação de Gunn foi feita depois que Tony Cervone, produtor de diversas animações de Scooby-Doo, confirmou que Velma realmente é lésbica.

No Brasil, Scooby-Doo e Scooby-Doo 2: Monstros à Solta estão agora disponíveis na Netflix.