Era Uma Vez um Sonho, da Netflix, tem final original controverso; veja

Publicadohá pouco tempo
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Contém spoilers!

A adaptação do polêmico best-seller de 2016 de J.D. Vance, Era uma Vez um Sonho: A História de uma Família da Classe Operária e da Crise da Sociedade Americana, está agora disponível para transmissão na Netflix.

O filme Era uma Vez um Sonho de Ron Howard recebeu elogios pelos trabalhos de Amy Adams e Glenn Close como a mãe e a avó de Vance – bem como uma série de críticas negativas para quase tudo o mais no filme – mas os leitores sabem que nada substitui o livro em si.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Aqui está o que você precisa saber sobre o final do livro Era uma Vez um Sonho: A História de uma Família da Classe Operária e da Crise da Sociedade Americana antes de assistir ao filme.

Final controverso

Elogiado como uma visão privilegiada da vida nos Apalaches em seu lançamento em 2016, Era uma Vez um Sonho: A História de uma Família da Classe Operária e da Crise da Sociedade Americana leva os leitores na jornada de Vance dos subúrbios do sul de Ohio a Yale.

Mas Vance, um capitalista de risco e uma vez aspirante a senador republicano, não é o personagem mais atraente do livro. Em vez disso, a mãe e a avó do autor, Bev e Mamaw Vance, ocupam o centro de sua história de abuso e vício.

As matriarcas da vida de Vance não são heroínas, no entanto. Por grande parte de sua vida, Mamaw está presa em um casamento fisicamente abusivo com Papaw Vance, que bebe demais.

Mamaw eventualmente incendeia Papaw com gasolina para retribuir seu problema com a bebida e, embora os dois se separem depois, eles permanecem próximos.

Bev, por outro lado, oscila entre uma série de relacionamentos abusivos, espanca seus filhos e abusa de drogas prescritas.

Vance encontra sua fuga no serviço militar. Depois de uma missão na Guerra do Iraque, ele frequenta a Universidade Estadual de Ohio, fazendo um curso acelerado de estudos para se formar mais cedo.

Quando ele é aceito na Escola de Direito de Yale, no entanto, Vance passa por um grande choque cultural por viver entre seus colegas nascidos ricos.

Sua tábua de salvação em Yale acaba sendo sua futura esposa, Usha, que o ajuda a conviver com as classes mais altas sem revelar muito sobre seu passado pobre.

À medida que Era uma Vez um Sonho chega ao fim, Vance volta sua atenção para refletir sobre os problemas da vida “caipira” – um movimento que atraiu duras críticas.

Escrevendo para o Lexington Herald-Leader, Brandon Kiser aponta que “Vance não é um caipira”.

Embora tenha passado curtos períodos de sua vida em uma área de Kentucky que Kiser chama de “sede dos caipiras, Estados Unidos”, Vance na verdade cresceu nos subúrbios de Cincinnati, Ohio, fora da competência da Comissão Regional dos Apalaches.

O filme atraiu tanta polêmica quanto o livro em 2016, mas você pode conferir por si mesmo na Netflix agora.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio