Os filhos da família Pêra de Os Incríveis podem parecer ter sido criados como super-heróis, mas na verdade eles podem estar no caminho para se tornarem vilões.

As crianças exibem um comportamento perturbador ao longo de ambos os filmes que podem apontar para tendências malvadas, e uma teoria do Reddit expõe mais sobre isso, apontando para a ideia de que Flecha, Violeta e Zezé Pêra podem na verdade ser psicopatas.

Um usuário do Reddit fornece vários exemplos de ambos os filmes de Os Incríveis que demonstram as tendências psicopáticas das crianças da família Pêra. Os filmes da Pixar seguem seus pais Beto e Helena Pêra, conhecidos como Senhor Incrível e Mulher-Elástica, lutando para se ajustar à vida como super-heróis aposentados.


Parte da vida na aposentadoria envolve tentar criar seus filhos – os superpoderosos Violeta, Flecha e Zezé – em um ambiente suburbano normal.

Eventualmente, a família Pêra é jogada de volta na vida de super-herói, e as crianças são apresentadas a ela através de uma missão muito perigosa.

Sombria teoria

A teoria do Reddit origina-se de uma pergunta que questiona o que aconteceria realisticamente com crianças que recebessem poderes imensos em uma idade jovem e fossem forçadas a lutar contra os bandidos. A resposta não é nada boa.

A teoria passa por cada criança Pêra e fornece exemplos específicos de comportamento perturbador.

O mais preocupante das crianças é Flecha, que tem super velocidade. Ele é apresentado ao público depois de aproveitar sua velocidade para atormentar um professor. Mais tarde no filme, ele e sua irmã derrotam uma horda inteira de bandidos basicamente sem nenhum treinamento.

Em Os Incríveis 2, Flecha tenta usar o controle remoto de seu pai para disparar os mísseis do carro de Beto em um grupo de pessoas. O menino parece se alegrar com cada exemplo de violência.

De acordo com a teoria do Reddit, o comportamento de Violeta e Zezé é menos direto. Zezé pode ser apenas um bebê em Os Incríveis, mas ainda faz coisas horríveis, como aterrorizar sua babá e atormentar um animal.

Ele executa cada uma dessas ações com alegria absoluta. Embora ele seja muito jovem e possa não ter controle total sobre suas ações, o público deve entender que ele é uma criança muito inteligente, o que significa que provavelmente está pelo menos um pouco ciente do que está fazendo.

Ao contrário de seus irmãos, a irmã mais velha da família Pêra, Violeta, não gosta de qualquer tipo de violência, mas é isso – ela não sente alegria em quase nada.

Violeta é tímida e retraída, mas propensa a explosões de raiva porque está frustrada com seus superpoderes e deseja ser uma adolescente normal. Ela cresceu toda a sua vida cercada por super-heróis como seus pais e Gelado e de alguma forma se ressente disso. Embora a teoria forneça evidências válidas, ela realmente não se sustenta.

Violeta, Flecha e Zezé são crianças. Eles simplesmente não entendem as consequências de suas ações, especialmente no primeiro filme de Os Incríveis. Quando Flecha atormenta seu professor, ele está apenas sendo um garoto inquieto e imprudente. Zezé aterroriza um animal porque ele é um bebê que não entende nada.

Violeta age mal porque é uma adolescente. As crianças têm que lidar com as dores normais de crescer junto com seus superpoderes. Por causa disso, as linhas ficam borradas. A vida dos irmãos Pêra é muito diferente da de seus colegas, e às vezes o que é aceitável fica um pouco confuso.

Os finais de ambos os filmes da Pixar na franquia Os Incríveis também contestam a teoria. Ambos os filmes terminam com as crianças se preparando para resgatar seus pais. Flecha, Zezé e Violeta fazem isso porque amam seus pais e reconhecem que precisam usar seus poderes para fazer o bem no mundo.

Se eles fossem realmente psicopatas a caminho de se tornarem vilões, eles não se importariam o suficiente para resgatar seus pais. Isso porque Os Incríveis não é a história original de um trio de vilões. É uma história de maioridade sobre três crianças tentando descobrir como crescer com superpoderes.