Batman fora da telona? Cinemas planejam boicote a Warner Bros

Publicadohá pouco tempo
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

De todos os grandes estúdios de Hollywood, a Warner Bros. talvez seja um dos mais controversos.

Recentemente, o estúdio anunciou o seu plano mais do que ousado para 2021. O lançamento de todos os seus grandes longas ao mesmo tempo tanto no cinema quanto no HBO Max.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

A estratégia começa já em dezembro de 2020, com o lançamento de Mulher-Maravilha 1984 já seguindo esta linha.

A ideia da Warner Bros. é lucrar mais com seu serviço de streaming enquanto também não abandona completamente os cinemas. A proposta, em tese, agradou muitos fãs, especialmente nos Estados Unidos, onde o HBO Max já está amplamente disponível, mas há mais questões em jogo.

Os diretores, como Christopher Nolan e Denis Villeneuve, foram os primeiros a reclamar da estratégia, já que muitos filmes foram feitos para serem apreciados no cinema e, agora, não haveria praticamente nenhum período de exclusividade para esse meio.

Agentes de atores também ficaram descontentes, já que muitos astros recebem uma parte da arrecadação de seus filmes e, com esse tipo de lançamento, a bilheteria seria muito prejudicada. Agora vem a pior parte: a retaliação de donos de cinemas dos Estados Unidos.

Boicote contra estúdio

De acordo com um novo relatório do Hollywood Reporter, grandes redes de cinema como AMC Theatres e Cinemark Theatres estão considerando reduzir os preços de ingressos para filmes da Warner Bros., além de exigir uma parte maior da receita, deixando o estúdio praticamente sem nenhum lucro.

Além disso, os cinemas estão analisando a exibição dos filmes da Warner Bros. título por título, ou seja, é possível que alguns longas não sejam nem mesmo lançados nessas redes.

Tudo isso serve como uma forma de boicote ao estúdio, para que o mesmo reverta a sua decisão de lançamento simultâneo nos cinemas e no HBO Max.

Embora essa estratégia da Warner Bros. tenha sido anunciada apenas para 2021, a controvérsia em torno dela pode trazer consequências por um bom tempo no futuro. Caso as redes de cinemas continuem com seu plano de boicote, até mesmo filmes de 2022, como o aguardado Batman, com Robert Pattinson, podem ser prejudicados.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio