Com Tom Cruise, Top Gun conta grande mentira aos fãs

Publicadohá pouco tempo
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Os fãs de Top Gun vão se lembrar que o MiG-28 fez uma aparição durante o clímax do blockbuster de 1986, mas esse avião a jato é real e, se não, que modelo da vida real foi usado no filme?

Lançado em 1986, o clássico com Tom Cruise, Top Gun, continua a ser o favorito entre muitos aficionados de filmes de ação.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

A história de Maverick, um recruta arrogante que supera a tragédia pessoal para se tornar um dos pilotos mais rápidos e habilidosos que a Marinha já viu, o sucesso simplesmente planejado Top Gun teve sucesso nas bilheterias graças à direção elegante do ícone do cinema de ação Tony Scott.

A história propulsora do filme combinou drama pessoal com muita ação voando alto com grande efeito, como sintetizado pela emocionante sequência de fechamento.

Durante esta sequência de combate aéreo, o desfecho de Top Gun frequentemente corta para um avião inimigo referido no filme como “MiG-28”. Isso inevitavelmente levou os fãs a se perguntarem se o modelo realmente existe ou se foi inventado para uso no filme, uma questão que persiste até hoje.

O MiG-28 é falso e, na realidade, Top Gun usou um Northrop F-5 que foi pintado de preto especialmente para a cena. Os especialistas provavelmente serão capazes de adivinhar esse fato graças a um sutil detalhe revelador, que é que, na realidade, os MiGs são ímpares.

Como tal, o fato de que esta aeronave de Top Gun é designada como um número par denuncia a mentira para os espectadores com olhos de águia.

Modelo que não existe na vida real

Na realidade, o MiG-28 visto no filme é um F-5 real que a produção pintou de preto para torná-lo menos reconhecível e mais visualmente ameaçador para um efeito dramático.

Este avião e o resto das muitas aeronaves do filme foram em sua maioria emprestados pela Marinha dos Estados Unidos da vida real, que ajudou na produção de Top Gun do roteiro à tela.

Literalmente, já que o Pentágono exigiu acesso ao roteiro de filmagem original do filme para que a organização pudesse mudar qualquer coisa que não se encaixasse na percepção pública desejada.

Já que Top Gun estava longe de ser um filme de protesto, a mudança mais notável em que o Pentágono insistiu foi que os criadores fizeram do interesse amoroso de Tom Cruise, Charlie, uma civil, em vez de outra recruta, já que romances de escritório eram estritamente proibidos na época.

Usar o F-5 como um substituto para a nave vilã fictícia foi uma decisão inteligente para os produtores de Top Gun, já que a pintura preta permitiu que eles obscurecessem a origem nacional do avião inimigo.

Embora originalmente pretendessem ser explicitamente norte-coreanos, o ambiente político cauteloso dos anos 80 levou os criadores de Top Gun a nunca revelarem de onde os vilões do filme se originaram durante todo o tempo de duração do filme.

Muitos dos aviões a jato apresentados no filme original estarão fazendo um retorno triunfante às telas em Top Gun: Maverick, ao lado de vários novos modelos que farão sua estreia na tela na tão esperada sequência de ação quando finalmente chegar aos cinemas em 2021.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio