Final icônico de O Exterminador do Futuro 2 é modificado

Publicadohá pouco tempo
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Os momentos finais de O Exterminador do Futuro 2: O Julgamento Final estão gravados nos cérebros dos fãs, mas a novelização do filme altera o adeus do T-800. Um feito muito legal e interessante que um bom filme pode realizar é fazer o espectador sentir uma empatia e simpatia genuínas pela situação de uma criatura não humana.

Depois da carnificina que o mesmo modelo forjado em O Exterminador do Futuro, pode-se imaginar que seria difícil para os telespectadores torcer pelo T-800 de Arnold Schwarzenegger em O Exterminador do Futuro 2: O Julgamento Final, mas em vez disso, a máquina se torna um personagem trágico.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

O T-800 começa sua vida reprogramada em 1995, tendo que ser ensinado por John Connor por que ele não deveria matar qualquer um que obstrua sua missão. Afinal, é um Exterminador do Futuro, foi literalmente construído para encerrar a vida.

Graças a Sarah e John removendo um chip inibidor colocado pela Skynet no cérebro do T-800, a máquina é então capaz de aprender mais sobre a condição humana enquanto passa o tempo com as pessoas.

No final de O Exterminador do Futuro 2: O Julgamento Final, o T-800 parece ter afeição genuína por John e Sarah, ou pelo menos o mais próximo que um Exterminador do Futuro poderia sentir dessa emoção.

A triste cena final de O Exterminador do Futuro 2: O Julgamento Final, em que o T-800 se despede de seus camaradas e pede a Sarah para baixá-lo no aço fundido para evitar o Dia do Julgamento, é verdadeiramente icônica. No entanto, a novelização oficial da sequência na verdade torna a cena ainda mais triste, talvez de forma excessiva.

Final modificado

Enquanto o T-800 ainda tem um adeus emocional de John e Sarah no final da novelização de O Exterminador do Futuro 2: O Julgamento Final, escrita por Randall Frakes, o tom da cena e sua resolução são bem diferentes. No filme, o T-800 diz a Sarah que não pode terminar sozinho e que ela deve baixá-lo até o aço.

No livro, o T-800 não tem essa restrição. Ele sai da borda da própria plataforma, aterrissando no aço abaixo. Antes de seu término, porém, o romance oferece uma visão fascinante sobre o que o T-800 estava pensando antes de sua morte.

No livro de O Exterminador do Futuro 2: O Julgamento Final, Sarah pergunta ao T-800 se ele tem medo de morrer. O T-800 responde afirmativamente, o que é contrário a uma conversa que ele tem sobre o medo no filme.

Como diz o livro, o T-800 estava com medo.

“Não porque ele fosse parar de funcionar como um Exterminador, mas porque ele sentiu uma visão além de sua programação de uma ordem cósmica muito além da compreensão da Skynet. E isso deu a ele uma sensação de seu primeiro sentimento. Medo. De onde ele estava indo em seguida, se em algum lugar.”

Porém, não diz isso em voz alta, apenas a parte do “sim”. É uma virada interessante, pois levanta a questão do que exatamente a visão do T-800 continha. Céu? Inferno? Deus? Algo ainda mais poderoso? Infelizmente, parece que nunca saberemos.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio