Mank: Veja a verdade sobre reação de magnata a Cidadão Kane

Publicadohá pouco tempo
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

O magnata William Randolph Hearst, interpretado por Charles Dance em Mank, não tem sua reação a Cidadão Kane revelada no filme de David Fincher. Embora o clássico de Orson Welles não seja uma biografia oficial de Hearst, ele junta aspectos fictícios a reais para criar seu personagem central.

Na vida real, segundo o site do History, Hearst tentou prevenir o lançamento de Cidadão Kane, sem nem mesmo ter lido o roteiro. Isso chega a ser citado em Mank, mas não é explorado a fundo. Em janeiro de 1941, ele chegou a bloquear anúncios do filme em seus jornais.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Dias antes disso, a colunista de fofocas Hedda Hopper chegou a ver uma cabine de imprensa de Cidadão Kane e entregou alguns detalhes a Hearts, que não ficou nada feliz com a forma como sua amante, Marion Davies foi retratada.

O magnata também foi de encontro ao sistema de estúdio em Hollywood, resultando em uma briga com os novos cineastas.

Eventualmente Cidadão Kane se tornou um dos filmes mais cultuados de todos os tempos. Portanto, Hearst definitivamente não conseguiu o que queria.

Entenda a história de Mank

Mank, o novo filme de David Fincher, lançado na Netflix, requer conhecimento prévio por parte do espectador, para que tudo possa ser entendido. Não somente basta ter assistido Cidadão Kane, como faz-se necessário saber alguns detalhes sobre os bastidores do clássico de Orson Welles. Vamos mergulhar nessa questão agora.

Essencialmente, Mank é sobre a política em Hollywood e sobre argumentos de críticos que já duram décadas.

O filme conta com inúmeras referências a brigas da vida real e alianças políticas que formaram Hollywood nas suas primeiras décadas. Trata-se de uma obra sobre um roteirista que percebe que o negócio no qual ele se envolveu é pervertido por pessoas poderosas, com agendas próprias.

Ele, Herman J. Mankiewicz (apelidado de Mank) decide se vingar ao fazer um filme sobre o poderoso magnata da mídia William Randolph Hearst, quem já considerou amigo. O filme é justamente Cidadão Kane.

Mank ainda lida com a questão sobre quem é o verdadeiro responsável por Cidadão Kane: Mankiewicz ou Orson Welles – tal questão é discutida até hoje por críticos e historiadores. Oficialmente, Mankiewicz é creditado como co-roteirista, enquanto Orson Welles é co-roteirista, diretor, produtor e ator.

O filme de David Fincher certamente tende para o lado de Mank, como já deixa claro o título. De fato, ninguém questiona o envolvimento do roteirista na obra e sim o quanto da sua maestria é fruto do trabalho de Mankiewicz.

O longa-metragem da Netflix, contudo, preocupa-se mais na relação do roteirista com William Randolph Hearst, do que resolver esse eterno debate.

Isso fica claro em uma cena de Mank que diz que a mágica do filme é uma combinação do que Mankiewicz escreveu com o que Welles fez a partir disso.

Com tais conhecimentos, é possível aproveitar o longa-metragem da Netflix melhor. Lembrando que assistir Cidadão Kane antes é altamente recomendável.

Mank está disponível na Netflix.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio