Representante de Keanu Reeves fica enfurecido com decisão de estúdio

Publicadohá pouco tempo
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

A decisão histórica da Warner em lançar seus filmes simultaneamente no HBO Max (plataforma de streaming do estúdio) e nos cinemas causou grande impacto no mercado, desagradando grande parte da indústria. Dentre aqueles que se sentiram lesados, está Keanu Reeves.

Conforme matéria de Brooks Barnes e Nicole Sperling, no NY Times, Gal Gadot e Patty Jenkins – estrela e diretora de Mulher-Maravilha 1984, respectivamente – foram consultadas antes da mudança. Tal cortesia não foi estendida para outros astros e diretores.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Não bastasse isso, elas foram supostamente pagas milhões de dólares como compensação pela inevitável queda na bilheteria ocasionada pelo lançamento duplo. Isso também não foi oferecido a astros como Keanu Reeves, Denzel Washington, Margot Robbie, Will Smith, Hugh Jackman e Angelina Jolie.

Reportagens recentes indicam que os representantes de cada uma dessas estrelas renomadas estão exigindo saber por que apenas a equipe de Mulher-Maravilha 1984 recebeu esse aparente tratamento preferencial.

Além disso, o Sindicato de Diretores dos EUA (DGA) estaria considerando um boicote à Warner, somado a uma ação jurídica da Legendary Pictures, que teria recebido um aviso prévio de apenas 30 minutos acerca da mudança no lançamento de Godzilla vs. Kong.

“Por muito tempo a Warner Bros foi conhecida como a melhor casa para pessoas talentosas e isso era uma significativa vantagem competitiva”, declarou Michael Nathanson, fundador da companhia MoffettNathanson, de análise midiática. “Com essa mudança, eles alienaram justamente o talento que trabalharam tanto para atrair. Essas pessoas não são engenheiros que você pode substituir”.

Resta aguardar para saber se Keanu Reeves, que estrela Matrix 4, tomará alguma medida judicial junto de outros astros do estúdio.

Christopher Nolan detona a Warner

A decisão da Warner Bros. em lançar seus filmes simultaneamente nos cinemas e na plataforma de streaming HBO Max pegou todos de surpresa e, pelo jeito, isso inclui Christopher Nolan. O diretor de Tenet, A Origem e Interestelar não ficou nada contente com tal escolha do estúdio.

Os lançamentos da Warner Bros, incluindo Mulher-Maravilha 1984, Duna e Godzilla vs Kong, ficarão disponíveis por 31 dias na plataforma até serem removidos. Em matéria publicada por Kim Masters, do THR, Nolan criticou abertamente não somente tal decisão, como o próprio serviço de streaming do estúdio.

“Alguns dos maiores cineastas e mais importantes estrelas de cinema foram dormir achando que trabalhavam para o melhor estúdio de Cinema e acordaram descobrindo trabalharem para o pior serviço de streaming”, disse o diretor.

“A Warner Bros. tinha uma incrível máquina para fazer o trabalho dos realizadores chegar a qualquer lugar, tanto nos cinemas, quanto em casa e estão desmontando isso conforme falamos. Eles sequer entendem o que estão perdendo”, continuou Christopher Nolan.

“Sua decisão não faz sentido econômico e até mesmo o investidor mais casual de Wall Street pode ver a diferença entre interrupção e disfunção”.

Uma das possíveis causas para a mudança no modelo de lançamento da Warner pode ter sido justamente o fracasso comercial de Tenet, mais novo filme de Christopher Nolan.

O longa-metragem fez US$ 57,6 milhões nas bilheterias estadunidenses e US$ 302 milhões internacionalmente. Essa foi a arrecadação mais baixa do diretor desde Insônia, em 2002.

Foi Christopher Nolan quem insistiu para que o filme fosse lançado nos cinemas em 3 de setembro, nos EUA. Sua intenção era que a obra servisse como pontapé inicial para a volta do público aos cinemas, o que não deu muito certo.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio