O ano de 2020 foi diferente por causa da pandemia do coronavírus (COVID-19). Desde março, principalmente, a indústria do cinema foi afetada – assim como a doença se espalhou e mudou a dinâmica do mundo.

Pelo poder de contágio da doença, salas de cinema tiveram que ser fechadas. Em alguns momentos, voltaram a abrir e funcionar com medidas de proteção.

Mesmo assim, muitos estúdios tomaram a decisão de adiar os grandes lançamentos para 2021 e também para 2022. Isso vale para Disney, Marvel, Sony, Warner Bros e Universal.


Algumas tentativas até foram feitas, principalmente no segundo semestre, como Tenet e Mulher-Maravilha 1984. Porém, o tamanho do prejuízo para o cinema em 2020 é enorme.

O The Wrap calculou a diferença de ganho de 2019 para 2020 nos Estados Unidos. Com a pandemia, a indústria do cinema regrediu em anos em questão de ganhos.

O prejuízo do cinema em 2020

O The Wrap fez a projeção de que a indústria do cinema deve faturar US$ 30 bilhões a menos que 2019. Na conversão atual, cerca de R$ 155 bilhões.

O ganho em 2020 deve ser um pouco acima de US$ 2 bilhões. É uma redução de 81%.

A projeção, vale dizer, foi calculada apenas dentro dos Estados Unidos, um dos maiores mercados do mundo. Sendo assim, em patamar mundial o prejuízo pode seguir a mesma escala – ou até mesmo ser maior.

Com a vacina contra o coronavírus, há uma dúvida se a indústria pode se recuperar em 2021. Por hora, estúdios apostam que sim ao manter as grandes estreias no novo ano.

Do outro lado, a Warner Bros começa a apostar no streaming. Como se sabe, muitos lançamentos de 2021 chegam ao mesmo tempo na HBO Max, o serviço do estúdio.