Soul copia Frozen e pode ter o próximo Olaf da Disney

Publicadohá pouco tempo
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Soul está conquistando os fãs no Disney+, tendo configurado-se como uma das mais maduras histórias da Pixar. Um dos personagens em específico do filme pode render novas histórias para a plataforma.

Na onda do que a Disney fez com Olaf, de Frozen, a Pixar pode investir em uma série, ou curtas-metragens sobre Moonwind.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Em Soul, o personagem é um terapeuta espiritual e a forma como é apresentado no filme pode render infindáveis novas histórias.

Em essência, ele pode contracenar com qualquer pessoa ou personagem que já tenha morrido. Dessa forma, a Disney / Pixar pode criar curtas ou episódios com diversas personalidades, celebridades e mais.

É possível também realizar crossovers com outras obras do estúdio, fomentando a teoria de que todos os filmes se passam em um mesmo universo.

As possibilidades são infinitas.

Final alternativo de Soul

Alerta de spoilers!

Soul, da Disney e Pixar, planejou originalmente um final muito sombrio para Joe Gardner (Jamie Foxx), de acordo com os cineastas Pete Docter, Kemp Powers e Dana Murray.

O filme, agora disponível para assistir no Disney+, segue o esforçado músico de jazz Joe enquanto ele explora o significado da vida depois que ele se recusa a ir para o Grande Além e morrer após um acidente de bueiro.

Em vez disso, ele acaba no Grande Antes – um lugar com pequenas almas bastante agradável – e tem a tarefa de preparar uma alma rebelde chamada 22 (Tina Fey) para a vida na Terra.

No final do filme da Disney e da Pixar, Joe e 22 retornam à Terra, com Joe retornando ao seu corpo pronto para viver e apreciar cada momento de sua vida.

No entanto, falando recentemente, os diretores de Soul Pete Docter e Kemp Powers revelaram que o rascunho original do filme teria enviado Joe para o Grande Além, afinal.

“Temos versões do final em que Joe não volta ao corpo, onde na verdade fica morto”, disse Powers à ET Online.

“Cara, esse final gerou mais debate do que qualquer outro elemento do filme.”

“Acho que as pessoas achavam que é trapaça deixá-lo voltar”, acrescentou Docter.

“Por outro lado, em termos de história, você não pode ensinar esse cara a aproveitar a vida da maneira certa e depois roubá-lo disso.”

“Então, simplesmente não parecia o caminho certo a seguir. Embora esse fosse o rascunho original.”

A produtora Dana Murray acrescentou: “Ficamos de um lado para outro no final até a última exibição. Por muito tempo, Joe iria para o Grande Além.”

“Houve muito debate, mas acho que quanto mais o víamos viver sua vida e apenas pensar em sua mãe, Libba, e todos esses fatores diferentes, parecia o final certo, que ele precisava ser capaz para ir curtir sua vida da maneira que ele queria, porque ele aprendeu muito ao longo do filme.”

Powers e Docter também revelaram que outra versão do final teria permitido aos espectadores ver como era a vida de Joe na Terra um ano depois, enquanto outra versão teria mostrado Joe acabar como um mentor no Grande Antes também.

Levanto tudo em conta, os fãs provavelmente deveriam estar gratos por Joe ter voltado para a Terra.

Soul está agora disponível no Disney+.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio