Vingadores: Ultimato comprova que heróis da Marvel estão errados

Publicadohá pouco tempo
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Vingadores: Ultimato provou que tanto o Capitão América quanto o Homem de Ferro estavam errados em Os Vingadores. As três primeiras fases do MCU foram dominadas por Tony Stark e Steve Rogers, indiscutivelmente os mais importantes dos Vingadores.

O Capitão América era visto como o primeiro Vingador literal, a Lenda Viva da Segunda Guerra Mundial, um homem cujo código moral inflexível orientava a equipe. Em contraste, Tony Stark era um filantropo gênio playboy bilionário, o homem cuja tecnologia tornou os Vingadores possíveis.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Infelizmente, a dinâmica entre Steve Rogers e Tony Stark foi tensa desde o início. Isso foi visto claramente em Os Vingadores, quando sua primeira parceria rapidamente evoluiu para uma discussão – concedida, com um cutucão da Joia da Mente.

“Você não é o cara que faz o sacrifício”, rosnou o Capitão América para o Homem de Ferro, “como deitar em um arame e deixar o outro cara rastejar sobre você.”

Igualmente zangado, Tony dispensou Capitão América com uma réplica igualmente farpada.

“Você é um rato de laboratório, Rogers”, ele fumegou, anos de ressentimento ao ouvir seu pai falar sobre o Capitão América emanando dele.

“Tudo de especial em você saiu de um frasco!”

Conforme observado na conta do Twitter da Marvel Facts, Vingadores: Ultimato provou que os dois heróis estavam errados um sobre o outro.

Isso ficou mais evidente no sacrifício de Tony Stark, com o Homem de Ferro escolhendo exercer o poder ilimitado da Manopla do Infinito – mesmo sabendo que isso lhe custaria a vida. Naquele momento, Stark provou ser um verdadeiro herói, sacrificando-se para salvar o próprio universo da loucura de Thanos.

Ambos estavam errados

Mas Vingadores: Ultimato também ofereceu uma refutação mais sutil da afirmação de que não há nada inerentemente especial sobre Steve Rogers. Ele fez isso mostrando que ele era digno de empunhar o Mjolnir, porque o valor tem a ver com seu caráter, não com suas habilidades.

Na verdade, Steve Rogers já era digno muito antes de se tornar o Capitão América, pois estava disposto a se sacrificar pelos outros desde o início – como comprovado quando mergulhou no que pensava ser uma granada prestes a explodir em Capitão América: O Primeiro Vingador.

Essa demonstração de caráter provou que Steve era o homem certo para se tornar o Capitão América – e os mesmos traços de auto sacrifício o tornam um herói, independentemente do soro do super soldado.

Vingadores: Ultimato foi a conclusão perfeita para a Saga do Infinito, em grande parte porque fez justiça a ambos, Homem de Ferro e Capitão América. Suas histórias chegaram a uma conclusão dramática, mas satisfatória, com cada um provando inconscientemente que o outro estava errado.

Tony Stark se tornou o herói de que o universo precisava, aquele que ofereceria sua vida pelo bem dos outros, que faria o que Steve Rogers nunca pensou que faria.

E quando empunhou o Mjolnir, o Capitão América provou que era muito mais do que apenas um rato de laboratório; que o mérito de seu caráter significava que ele ficava acima de seus colegas, a ponto de poder usar o Mjolnir em batalha. Foi a maneira perfeita de encerrar a história dos Vingadores.

No Brasil, Vingadores: Ultimato, da Marvel, está agora disponível no Disney+.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio