Atriz acusa diretor de Vingadores de abuso

Publicadohá pouco tempo
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

A situação de Joss Whedon, conhecido por Os Vingadores, Vingadores: Era de Ultron e Liga da Justiça, está ficando cada vez mais difícil. Dessa vez, o diretor é acusado de abuso por uma atriz de Buffy: A Caça-Vampiros.

As alegações surgem depois de Ray Fisher, de Liga da Justiça, afirmar que Joss Whedon não tinha um comportamento profissional no set do filme da DC. A atriz Charisma Carpenter reforçou as acusações do ator.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

No Twitter, a atriz publicou imagens com um longo texto. Na legenda da publicação, Charisma escreveu, “Minha verdade”, e usou a hashtag Eu apoio Ray Fisher.

Ao que parece, a atriz se pronunciou por ter feito parte da investigação feita pela Warner Bros em Liga da Justiça. No comunicado, a famosa diz que “silenciou por duas décadas e até pediu desculpas por eventos que traumatizaram” a vida dela.

Joss Whedon abusou do poder dele inúmeras vezes enquanto trabalhamos juntos em Buffy: A Caça-Vampiros e Angel. Enquanto ele achava o comportamento maravilhoso, apenas serviu para intensificar minha ansiedade, me tirar a força e me isolar”, escreve a famosa.

Charisma relata ainda que essas situações criaram uma “condição física” da qual ela ainda sofre atualmente. A atriz também pontua que o diretor de Vingadores tem um histórico de ser “casualmente cruel”, além de criar ambientes tóxicos de trabalho.

Veja os posts abaixo.

Abuso de poder e críticas

A atriz de Buffy descreve o que o diretor de Vingadores teria feito no set. Primeiro, Charisma relembra que era ameaçada de demissão de forma “passiva-agressiva” em inúmeras situações.

“Ele me chamava de gorda para colegas quando eu estava grávida de quatro meses. Ele era malvado e venenoso, falando sobre os outros abertamente, escolhendo favoritos e colocando as pessoas contra as outras para lutar pela atenção e aprovação dele”, relata ainda a famosa.

O ponto crítico da relação surgiu quando a atriz, após tentativas dos agentes dela, conseguiu avisar a Joss Whedon, criador da série, que estava grávida. A atriz de Buffy teve uma reunião sozinha com o diretor.

Nela, Charisma detalha que o cineasta pediu “se ela realmente queria manter o bebê” e teria “manipulado a feminilidade e fé” dela contra ela.

“Ele me acusou de sabotar a série, atacou minha personagem, zombou das minhas crenças religiosas e depois me demitiu quando eu dei à luz”, denuncia Charisma. Antes disso, a atriz ainda conta que Whedon tinha até a questionado sobre uma tatuagem feita.

Consequência na saúde de atriz

Charisma, que também aparece na derivada Angel, destaca que teve problemas de saúde até ser demitida. Mesmo grávida de seis meses, o diretor de Liga da Justiça fazia a artista ir trabalhar de madrugada, quando “médicos diziam para reduzir a jornada”.

A atriz começou a ter fortes contrações já nessa etapa da gravidez por causa da intensa rotina de trabalho. Charisma percebeu que o trabalho de madrugada era uma forma de “retaliação”.

“Na época, eu me senti sem forças e sozinha. Sem qualquer opção, eu engoli todo maus-tratos e segui em frente. Eu tinha um bebê a caminho e eu precisava sustentar minha família. Infelizmente, isso aconteceu em um dos momentos de maior alegria da maternidade. Toda promessa e alegria foi sugada. Joss era o vampiro”, refletiu a atriz de Buffy.

Charisma conta que “mesmo com o assédio”, a atriz ainda procurava por “aprovação” do diretor. “Eu criava desculpas para o comportamento dele e repreendia minha própria dor. Apenas recentemente, após anos de terapia e com o movimento Time’s Up é que entendi a complexidade desse tipo de pensamento”, desabafa a famosa.

A atriz ainda destaca que “a sociedade e a indústria tendem a transformar vítimas em vilões e glorificam abusadores por objetivos alcançados”.

Charisma afirma que ainda processa esse trauma, que a acompanha desde as séries com Joss Whedon. Por fim, a atriz conta que decidiu trazer tudo a público porque Ray Fisher foi demitido de The Flash após uma investigação interna da Warner Bros sobre Liga da Justiça ter levado a “medidas corretivas” que não foram especificadas.

Para o ator de Ciborgue, justiça não foi feita no caso. Com isso, Fisher, que acusou o presidente da DC Walter Hamada de ser conivente com o comportamento de Joss Whedon, ficou de fora de The Flash e possivelmente, não deve voltar ao papel do herói.

“Me entristece que em 2021 profissionais ainda precisam escolher entre denunciar ou ter a segurança de um trabalho”. A atriz ainda se disse “com medo” de ter revelado o caso contra o diretor de Vingadores.

Joss Whedon e a Warner ainda não se pronunciam sobre as alegações da atriz.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio