Independentemente de como você avalie a qualidade da franquia Crepúsculo, não se pode negar que a saga foi uma das maiores febres dos anos 2000, conquistando fãs no mundo inteiro e dominando as conversas.

Baseados nos livros de Stephanie Meyer, os filmes da saga Crepúsculo acompanham a história de Bella, uma jovem que se envolve em um triângulo amoroso com um vampiro e um lobisomem.

A saga Crepúsculo foi disponibilizada recentemente pela Netflix, e os filmes se destacaram entre os mais assistidos da plataforma.


O site Screen Rant listou alguns erros, furos e decisões questionáveis da franquia; confira abaixo!

O comportamento de Edward

O romance de Edward e Bella era visto como o ápice da paixão por muitos adolescentes. Com o tempo, até mesmo os fãs da saga começaram a perceber que o personagem de Robert Pattinson tem atitudes bastantes problemáticas na relação.

Edward desrespeita a privacidade de Bella antes mesmo de começar a namorar a protagonista, além de desconsiderar as decisões da personagem e tratá-la como uma mocinha indefesa. A série erra ao transformar um comportamento de perseguição em algo romântico.

A gravidez de Bella

Edward desrespeita a privacidade de Bella antes mesmo de começar a namorar a protagonista, além de desconsiderar as decisões da personagem e tratá-la como uma mocinha indefesa.

A decisão de continuar ou não com a gravidez deveria ser tomada inteiramente por Bella. Mesmo assim, Edward pressiona a personagem a modificar sua decisão.

O tratamento de Leah

Como Crepúsculo foi descoberto recentemente por uma nova geração de fãs, muita gente passou a apontar alguns problemas ignorados no lançamento original da franquia. Um deles é o tratamento de Leah Clearwater.

A personagem tinha potencial para se tornar bastante interessante como a única mulher com poder de mudança de forma. Ao invés disso, Leah foi tratada apenas como uma amante revoltada, insuportável para todos os outros membros do grupo de lobisomens.

Lobisomens

Falando em Leah, o tratamento dos lobisomens em Crepúsculo deveria ter sido muito melhor. Os seres sobrenaturais contam com uma interessante história e origem e relações com a tribo Quileute da vida real.

No entanto, a história foca muito mais nos vampiros da família Cullen, que são caracterizados como amáveis e gentis. Bella parece até se importar com os lobos, mas eles não ganham a atenção que deveriam.

Representatividade

Devido ao subtexto conservador que permeia a saga Crepúsculo, não é uma surpresa o fato da saga não contar com nenhuma representatividade LGBTQ. Na época que os livros foram lançados, a inclusão de personagens não-héteros era bastante rara em livros do gênero.

Mesmo assim, muitos fãs criticaram Crepúsculo por retratar uma história extremamente heteronormativa – com um tipo específico de relacionamento como “ideal”.

Todos os filmes da saga Crepúsculo estão disponíveis na Netflix.