Globo de Ouro causa grande polêmica em Hollywood

Publicadohá pouco tempo
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

O Globo de Ouro foi duramente criticado por esnobar atores e atrizes negros, além de produções de diretores negros, como Destacamento Blood e Judas e o Messias Negro. Agora, os responsáveis pela premiação fizeram uma revelação chocante.

A informação confirmada pela assessoria da Hollywood Foreign Press Association (HFPA), responsável pelo Globo de Ouro, é que o colégio eleitoral dessa associação conta com nenhuma pessoa negra.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

São 87 membros votantes e não há sequer um profissional negro dentre eles, o que explica certas obras, como Lovecraft Country, terem ficado de fora.

Esse cenário basicamente repete a polêmica do Oscar de anos atrás, que deu origem ao Oscars so White (Oscars são brancos demais), após a premiação indicar apenas pessoas brancas e filmes dirigidos por pessoas brancas.

O movimento fez com que a Academia de Artes e Ciências Cinematográficas escolhesse mais membros não brancos como integrantes, mas a HFPA já não tinha muita credibilidade antes desse escândalo.

Diversas vezes a HFPA foi acusada de aceitar suborno para indicar certas obras ao Globo de Ouro, portanto não há como saber se o cenário vai mudar daqui para a frente.

Emily em Paris é acusada de comprar indicação ao Globo de Ouro

Emily em Paris se vê no meio de uma polêmica após matéria publicada pelo Los Angeles Times. A reportagem aponta que os produtores da série da Netflix pagaram por viagens de 30 votantes do Globo de Ouro, para uma visita de luxo ao set da série, na França.

A matéria mergulha no que o Los Angeles Times descreve como alegações de conflitos étnicos de “cultura de corrupção” dentro da Hollywood Foreign Press Association (HFPA), responsável pela premiação do Globo de Ouro.

A investigação conduzida pelo jornal foca na legitimidade das indicações ao Globo de Ouro, que já causaram controvérsia inúmeras vezes. Alega-se que essa organização e a premiação toda funciona a base de subornos.

Ainda segundo o veículo, essa viagem de luxo supostamente paga pela produção de Emily em Paris incluiu estadia de duas noites no hotel cinco estrelas Peninsula Paris, com quartos que custam em média US$ 1400 por noite.

Emily em Paris foi indicada a dois prêmios do Globo de Ouro, incluindo Melhor Série de Comédia. A Netflix ou a HFPA ainda não se pronunciaram.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio