Novo filme de Tom Holland, o Homem-Aranha, esconde chocante história real

Publicadohá pouco tempo
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Pode não ser imediatamente óbvio que o novo filme de Tom Holland, Cherry – Inocência Perdida, foi inspirado por uma história real, mas tem sua base em uma terrível história da vida real.

O filme – que reúne o ator de Homem-Aranha com os diretores de Vingadores: Ultimato, Anthony e Joe Russo – é baseado no livro homônimo de Nico Walker, que ele escreveu enquanto cumpria uma pena de 11 anos em uma prisão federal no Kentucky.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Cherry – Inocência Perdida gira em torno de um jovem (interpretado por Tom Holland no filme) que abandona a faculdade para servir no Iraque como médico do Exército, logo depois de se casar com seu único amor verdadeiro (interpretado por Ciara Bravo).

Mas quando ele retorna da guerra, ele sofre de estresse pós-traumático não diagnosticado e se torna dependente de opioides, roubando bancos para financiar seu vício.

Embora Cherry – Inocência Perdida não seja uma autobiografia direta, Walker escreveu o livro baseado em suas próprias experiências. Matthew Johnson, coproprietário da Tyrant Books, contatou Walker depois de ler um perfil de Walker no Buzzfeed e o encorajou a escrever um livro, o que Walker fez ao longo de quase quatro anos.

Chocante história da vida real

Walker largou a faculdade e alistou-se no Exército aos 19 anos e, como o narrador não identificado em Cherry – Inocência Perdida, ele foi certificado como um médico de combate e estava morando no Iraque. Em 2005 e 2006, ele participou de mais de 200 missões de combate e recebeu sete medalhas e citações.

Quando Walker voltou aos Estados Unidos em 2006, ele “voltou quebrado”, de acordo com sua mãe, Liliana Walker (via The New York Times).

Vivendo com estresse pós-traumático não diagnosticado, Walker começou a tomar Oxicodona e heroína. Em 2010, ele roubou seu primeiro banco e passou a roubar 10 deles nos quatro meses seguintes, roubando quase US$ 40.000 para financiar seu vício.

“Nunca pensei em roubar. Não parecia grande coisa. Eu estava acostumado com esse sentimento”, disse ele ao The New York Times, acrescentando que, em comparação com o combate no Iraque, era “brincadeira de criança”.

“Centenas e centenas de vezes eu passei pela casa das pessoas com armas, sendo durão, gritando com as pessoas, às vezes atirando, e o que é isso comparado com aquilo?”

Walker foi preso em abril de 2011 depois de ter batido enquanto era perseguido pela polícia após seu último assalto. Ele se declarou culpado em 2012 e foi condenado a 11 anos de prisão, durante a qual recebeu a carta surpresa que o levou a escrever sobre suas experiências na semi-autobiografia Cherry – Inocência Perdida.

“Foi difícil escrever sobre coisas que eram mais gráficas”, disse ele ao The New York Times.

“No final do dia, pensei que seria melhor fazer assim do que mentir sobre isso.”

Walker foi libertado no início de outubro de 2019 e usou o dinheiro de seu contrato de publicação do livro para pagar a restituição que deve aos bancos que roubou.

O longa-metragem com Tom Holland, de Homem-Aranha, não é uma versão exata da história da vida real de Walker, mas a estrutura do livro e do filme permanece a mesma: a de um jovem abandonando a faculdade para ir para a guerra, voltando com estresse pós-traumático e ficando viciado em drogas.

Sem entrar em nenhum spoiler específico, nem tudo acontece da mesma forma que aconteceu com Walker, ou com as pessoas em sua vida. Isso significa que você pode ler sobre a vida de Walker, como no artigo do Buzzfeed, sem medo de arruinar Cherry – Inocência Perdida para si mesmo.

Cherry – Inocência Perdida, com Tom Holland, astro de Homem-Aranha, será lançado no Apple TV+ em março.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio