Astro de Liga da Justiça volta a fazer sérias acusações contra a Warner

Publicadohá pouco tempo
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Ray Fisher, o Ciborgue do filme de Liga da Justiça, expôs os comportamentos inaceitáveis dentro da Warner Bros., especificamente durante as filmagens de Liga da Justiça.

Isso acabou gerando uma investigação interna, que ocasionou na demissão de Joss Whedon do estúdio. Agora, ele fez mais alegações contra executivos da Warner, especificamente Toby Emmerich, Geoff Johns e Jon Berg.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Em publicação no Twitter, o astro de Liga da Justiça compartilhou um longo texto detalhando os problemas que supostamente ocorreram nos bastidores do filme da DC.

“Previamente às regravações de Liga da Justiça em 2017, ocorreram conversas racistas – em múltiplas ocasiões – entre executivos da Warner Bros. Pictures: Toby Emmerich, Geoff Johns e Jon Berg”, começa o texto de Ray Fisher.

“Se eu soubesse dessas conversas quando aconteceram, eu teria tomado alguma posição na época. Contudo, foi somente no Verão de 2020 que indivíduos que participaram dessas reuniões sentiram-se confortáveis em compartilhar comigo o que eles testemunharam”.

Ray Fisher continua, falando sobre o suposto racismo dos executivos da Warner Bros.

“Quando a situação envolve etnia, sempre tento dar o benefício da dúvida para aqueles que possam ser ignorantes aos seus próprios preconceitos. Mas quando executivos de um estúdio (particularmente Geoff Johns) diz, ‘não podemos ter um homem negro irritado no centro do filme’ – e então esses executivos usam seus poderes para reduzir e remover TODAS as pessoas negras desse filme – então não merecem mais o benefício da dúvida”.

“Toby, Geoff e Jon não são ignorantes em relação aos seus preconceitos. Eles entendem muito bem que a retórica racista que empregada nessas reuniões é ofensiva, discriminatória e inaceitável. Além disso, eles ousaram não falar essas coisas para mim, nem para qualquer outra pessoa negra associada ao filme. Ao invés disso, eles tomaram o caminho dos covardes ao tentar me deslegitimar, me fazer de louco. Isso além de pedidos problemáticos, como pedir para que eu interpretasse o Ciborgue como Quasimodo, ou forçar uma cena a ser regravada para que pudessem mostrar a existência do pênis do Ciborgue. Infelizmente esses foram apenas alguns dos problemas”.

O astro de Liga da Justiça deixou claro que Joss Whedon não foi escolha de Zack Snyder para substituí-lo e também apontou que o estúdio vai tentar minimizar a culpa de Geoff Johns.

“Agora sabemos que a liderança da Warner Bros Pictures mentiu para o elenco e equipe de Liga da Justiça (e para o mundo) sobre Zack Snyder ter escolhido Joss Whedon para finalizar o filme. A verdade continuará sendo revelada e provavelmente tentarão jogar a culpa em Kevin Tsujihara e Joss Whedon. Mas não se enganem, Geoff Johns trabalhou intimamente com Joss para mudar todo o roteiro de Liga da Justiça. E, embora Geoff Johns não tenha sido creditado como roteirista do filme, ele certamente promoveu a discriminação racial que ocorreu durante sua reunião com Toby e Jon”.

“A Liga da Justiça de Zack Snyder é prova e oposição dessa discriminação. Estou em dívida aos participantes da investigação de Liga da Justiça. Eles se colocaram em risco para compartilhar a verdade. Devo isso a eles; devo isso aos meus colegas na indústria; e devo a todas as pessoas negras”.

“PS.: Walter Hamada deve um pedido de desculpas aos participantes da investigação de Liga da Justiça”.

Veja o tuite de Ray Fisher, abaixo.

A Liga da Justiça de Zack Snyder

A Liga da Justiça foi lançada originalmente em 2017, sendo finalizada por Joss Whedon. Zack Snyder começou a trabalhar no longa da DC, mas teve que deixar o projeto após uma tragédia pessoal.

Quando o filme chegou no cinema, foi um fracasso de crítica. Ao mesmo tempo, o diretor original revelou que sua visão foi completamente alterada.

Com isso, os fãs tomaram o lado do diretor e começaram uma campanha pelo lançamento do corte de Zack Snyder. O desejo foi realizado e essa Liga da Justiça chegará na HBO Max nos EUA, sendo que depois o serviço também será lançado em outros países.

De acordo com o The Hollywood Reporter, a Warner Bros. vai investir de US$ 20 milhões a US$ 30 milhões em pós-produção e gravação de novos diálogos, para que o filme esteja totalmente concluído para ser lançado na plataforma de streaming.

O elenco de Liga da Justiça é liderado por Henry Cavill (Superman), Ben Affleck (Batman), Gal Gadot (Mulher-Maravilha), Jason Momoa (Aquaman), Ezra Miller (Flash) e Ray Fisher (Ciborgue).

A Liga da Justiça de Zack Snyder chega em 18 de março de 2021.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio