Henry Cavill não pode mais ser o Superman; confira o motivo

Publicadohá pouco tempo
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

É um pouco engraçado quando se pensa no fato de que o personagem ideal americano, Superman, é retratado por um homem britânico. Henry Cavill pode vir de outro país, mas agora ele é sinônimo do papel de Superman em todo o mundo.

Cavill fez uma estreia impressionante em O Homem de Aço e continuou a entregar performances consistentemente sólidas em cada filme subsequente do DCEU em que participou.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

No entanto, as histórias desse universo cinematográfico ainda não deram o devido valor.

Henry Cavill mal está em Liga da Justiça, o que é uma pena, porque se Superman tivesse sido trazido de volta à vida antes, ele poderia ter ajudado a tornar o filme mais agradável no geral.

O material que está sendo dado a Cavill está indiscutivelmente abaixo do nível de atuação que ele trouxe para outros filmes em sua carreira. Aqui estão alguns argumentos separados pelo Game Rant para o caso de que a melhor atuação de Henry Cavill surge em seus papéis fora do Superman.

Pouca emoção

Isso não é negativo para os filmes em si, mas o DCEU ainda não deu ao Superman um papel que exija que ele exiba uma gama complexa de emoções.

Acontece que o Superman é inerentemente bom e um farol de esperança, mesmo que isso signifique que ele às vezes é meio milagroso.

Henry Cavill mantém as coisas em equilíbrio com sua performance, o que significa que seu tom raramente muda do personagem confiante, calmo e gentil que é visto na tela. Há momentos em que ele consegue se soltar um pouco mais e mostrar um pouco de raiva, como na luta contra o Batman em Batman vs Superman: A Origem da Justiça.

No geral, porém, está bem claro que seu personagem se destina a servir como a âncora e o centro moral da Liga da Justiça, e é por isso que ele foi escrito para ser um personagem tão admirável.

Outras colaborações melhores

Claro, o DCEU é um grande projeto e viver o Superman é o mais icônico que pode parecer. Mas os tempos em que Henry Cavill conseguiu realmente brilhar com suas habilidades de atuação foi quando ele conseguiu se desviar do caminho do bem ao lado de grandes estrelas.

Veja seu papel no mais recente filme de Missão: Impossível, por exemplo. Ele não só deixou crescer um infame bigode, mas também retratou um vilão.

Adicione o fato de que ele assumiu e prosperou no papel de um vilão ao mesmo tempo em que teve que acompanhar Tom Cruise e fica claro que seu desempenho não foi pouca coisa.

Tom Cruise é conhecido por dominar tanto a tela quanto os ciclos da imprensa em torno de seus filmes, principalmente porque ele ainda faz questão de fazer todas as suas próprias cenas de ação.

Preocupado com o material original

Quer ele esteja interpretando um espião americano em O Agente da U.N.C.L.E., um romântico protagonista em Tudo Pode Dar Certo, ou mesmo o primeiro duque de Suffolk em The Tudors, está claro que Henry Cavill se encaixa em basicamente qualquer gênero.

Mais recentemente, ele deu o salto para a fantasia com seu papel como Geralt de Rívia na adaptação da Netflix de The Witcher. Seu desempenho é certeiro, ajudando a série a ter sucesso e garantir uma segunda temporada antes mesmo da estreia da primeira.

Por falar em The Witcher, Henry Cavill chegou ao ponto de aprender a manejar uma espada para poder encarnar melhor o personagem em cenas de luta.

A maneira como ele se movimenta na tela parece literalmente como se o jogo tivesse ganhado vida às vezes. Ele também revelou que é um grande fã da série de livros original em que os jogos são baseados e que usou esse conhecimento para informar seu desempenho.

Ainda mais recentemente, Cavill assumiu o papel de Sherlock Holmes ao lado de Millie Bobbie Brown em Enola Holmes, da Netflix. O tom geral é mais leve aqui e, curiosamente, este foi um dos papéis em que Cavill realmente tinha menos familiaridade com o material de origem.

Ele é tipicamente mais engajado em fazer justiça a personagens como Geralt e Superman porque ele cresceu como um fã desses personagens.

No entanto, ele admitiu que não tinha um apego tão forte por Sherlock Holmes ou pelos livros e, como resultado, seu trabalho é revigorante.

Também mostra o quão bem Cavill se encaixa no tom do filme quando ele não tem um conhecimento pré-existente do conteúdo fonte. Isso mostra o quão dedicado é o ator Henry Cavill, e é empolgante ver para onde ele irá e quem ele interpretará após o Superman.

No Brasil, O Homem de Aço, com Henry Cavill como Superman, está agora disponível na Netflix.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio