50 Tons de Cinza foi um processo “doloroso”, revela diretora

Autora dos livros originais interferia demais no filme

Publicadohá pouco tempo
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Na maioria das vezes, adaptações cinematográficas de livros não contam com envolvimento direto dos autores originais. Geralmente eles vendem os direitos de suas obras e no máximo se tornam consultores da obra. Esse não foi o caso de 50 Tons de Cinza.

E.L. James, autora dos romances originais, teve poder e controle sem precedentes nos filmes da franquia. Segundo o THR, ela sequer permitiu que a roteirista Kelly Marcel mexesse no texto que James ajudou a escrever.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Para piorar, a autora constantemente tinha conflitos com a diretora de 50 Tons de Cinza, conforme revelou a diretora Sam Taylor-Johnson ao THR.

“Frequentemente, entrávamos em conflito e tínhamos que encontrar uma maneira de superar isso para chegar a algum tipo de resolução”, disse Taylor-Johnson.

“Ela seria a primeira a dizer também que não foi fácil. Não foi fácil. Mas chegamos lá. Acho que nós duas sentimos que foi um processo incrivelmente doloroso”.

Fontes do THR apontaram que a diretora queria fazer um filme melhor e que os astros Dakota Johnson e Jamie Dornan apoiaram a diretora “99 em 100, senão 100 em 100 vezes”.

Não por acaso Sam Taylor-Johnson não retornou para as continuações de 50 Tons de Cinza.

Novo filme com Dakota Johnson

A estrela de 50 Tons de Cinza estará no filme The Lost Daughter. O longa tem ainda Olivia Colman no elenco.

O Deadline relata que o filme seguirá Leda (Colman), uma elegante professora universitária em férias de verão à beira-mar, que fica fascinada por Nina (Johnson) e sua filha pequena, enquanto as assiste na praia.

Incomodada por seu relacionamento interessante e sua grande família estridente e ameaçadora, ela se torna oprimida por suas próprias memórias do terror, confusão e intensidade da primeira maternidade.

Forçada a considerar as escolhas não convencionais que fez quando era uma jovem mãe e as consequências que elas tiveram para sua família, ela começa a se desvencilhar.

Perdida de maneiras que ela não consegue explicar, ela se vê presa no mundo estranho e ameaçador de sua própria mente.

The Lost Daughter é a estreia na direção de Maggie Gyllenhaal. Também estão estrelando no filme Peter Sarsgaard, Jessie Buckley, Paul Mescal e Oliver Jackson-Cohen.

The Lost Daughter, com Dakota Johnson, estrela de 50 Tons de Cinza, está sem previsão.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio