Explicamos o final de Passageiro Acidental, da Netflix

Veja como o novo longa do serviço de streaming termina

Publicadohá pouco tempo
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Contém spoilers!

Mistura de suspense com ficção científica, Passageiro Acidental estreou na Netflix para tirar o fôlego do público.

Com um elenco estrelado por nomes como Anna Kendrick, Shamier Anderson, Toni Collette e Daniel Dae Kim, o longa aborda o que acontece quando um passageiro inesperado causa um dano sério aos sistemas de suporte à vida de uma nave em uma missão com destino a Marte.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Com suas vidas em risco, os tripulantes terão que tomar difíceis decisões.

Como o encerramento de Passageiro Acidental, da Netflix, lida com todos os dilemas do longa? Continue lendo para acompanhar o final explicado – obviamente, o texto está carregado de grandes revelações da trama.

Final explicado

Pouco depois de se recuperar do ferimento sofrido durante o lançamento, Michael faz a Marina a pergunta que todos estaríamos pensando: por que eles não podem simplesmente virar a Kingfisher (a nave) e voltar para a Terra?

Ela diz a ele que eles não têm combustível suficiente para fazer isso e isso é cientificamente correto. O diretor Joe Penna (que co-escreveu o roteiro com Ryan Morrison) conversou com a NASA, ex-astronautas e outros especialistas espaciais para garantir a precisão.

“Não há atrito no espaço”, disse ele à Wired.

“Muitas pessoas pensam que a viagem espacial é como uma viagem de carro, onde, se você não está acelerando, pode simplesmente parar, dar meia-volta e começar a acelerar para o outro lado. Você só traz combustível suficiente para ajustes no espaço.”

“Porque se você traz meio quilo de combustível de foguete, você precisa de um quilo de combustível de foguete embaixo disso apenas para levá-lo ao espaço. Cada grama conta e suas margens são minúsculas.”

Com Michael já consumindo oxigênio e combustível inesperados por estar a bordo durante o lançamento, a Kingfisher não pode simplesmente dar meia-volta.

A outra consequência não intencional é que ele danificou o CDRA (Conjunto de Remoção de Dióxido de Carbono, para ser preciso) da nave, o que significa que eles não podem reciclar o dióxido de carbono que estão emitindo.

É uma situação complicada e, enquanto David tenta usar algas para limpar o dióxido de carbono e criar mais oxigênio para os quatro, metade do lote falha.

Eles só têm oxigênio suficiente para três pessoas sobreviverem à viagem a Marte e, como Marina diz a Zoe e David, eles “vão acabar asfixiados com dióxido de carbono algumas semanas antes de pousarmos”.

A única solução é matar Michael, mas depois dos protestos de Zoe, Marina dá 10 dias para eles tentarem encontrar uma solução a bordo, já que “cada dia que ele ainda está aqui é um perigo para todos nós”. Ela os avisa para não contar a Michael sobre isso, mas adivinhe o que acontece…

Apenas três dias depois, Michael descobre por David, que lhe dá uma maneira “indolor” de se matar para salvar o resto da tripulação. Compreensivelmente, Michael não gosta da ideia, especialmente porque ele tem uma irmã na Terra que está sozinha sem ele.

Ele parece concordar com a ideia, mas Zoe o vê antes que ele o faça e depois de contar uma história de como ela sobreviveu a uma situação insustentável 12 anos atrás, ele decide contra isso. Ao invés disso, Zoe acha que eles deveriam ver se há oxigênio suficiente sobrando no tanque amarrado a 450 metros acima da Kingfisher.

O tanque foi usado para o lançamento e não há como dizer quanto resta sem uma jornada perigosa pelas amarras. Marina não pode fazer isso porque ela está com um braço fraturado (depois que Michael caiu sobre ela quando foi descoberto) e Michael não está treinado, então Zoe e David ficam por conta disso.

Eles conseguem chegar lá em cima e há mais de 500 litros de oxigênio líquido no tanque, bastante para mais duas pessoas e isso significa que eles teriam o suficiente para os quatro. Infelizmente, com um cilindro cheio, soa um aviso de tempestade solar e eles têm apenas 20 minutos para chegar à segurança da nave.

Zoe tem que abandonar o preenchimento do segundo cilindro e no caminho de volta para a nave, ela perde o controle do cilindro cheio e ele flutua para o espaço. Eles voltam para a nave, mas com o vazamento do tanque acima do enchimento abortado, eles têm um tempo limitado antes que todo o oxigênio acabe.

A tempestade solar atinge e a radiação seria “mortal” para qualquer pessoa exposta a ela. Com a tempestade programada para durar horas, Michael se oferece para se sacrificar para conseguir um cilindro cheio para os outros três membros da tripulação sobreviverem.

Ele não está treinado, porém, e como Zoe observa, se ele não conseguir voltar, “um de nós morre também”. Marina não pode ir por causa do ferimento e David se oferece como voluntário, mas Zoe o impede e o faz prometer voltar para casa para sua esposa e ter uma família.

Zoe volta para as amarras e, apesar de sofrer os efeitos da radiação da tempestade solar, ela consegue chegar ao tanque de oxigênio, encher um cilindro e trazê-lo de volta para a nave. Compartilhando um olhar final com Marina, Zoe se senta no casco e encara Marte enquanto ela morre.

Ouvimos sua história anterior em narração sobre a inscrição no programa nos momentos finais: “Mas agora eu percebo que esta é uma daquelas raras oportunidades que podem realmente dar à minha vida um significado além de qualquer coisa que eu possa imaginar.”

Ela conseguiu salvar a tripulação e, provavelmente, eles chegaram em segurança a Marte para realizar a missão de sustentar a vida no planeta, os primeiros passos para poder chamar Marte de um segundo lar para a humanidade.

Passageiro Acidental termina antes de vermos a tripulação chegar a Marte, entretanto, depende de quão positiva é sua visão se eles conseguirão chegar lá – ou se o sacrifício de Zoe foi em vão.

Passageiro Acidental está disponível para assistir na Netflix.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio