Netflix repete o pior erro de Game of Thrones em filme

Zona de Combate decepciona com vilão de Pilou Asbaek

Publicadohá pouco tempo
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Atenção! Contém spoilers de Zona de Combate.

De 2011 a 2019, Game of Thrones se estabeleceu como a série mais famosa e assistida do mundo. A produção da HBO mudou a cara do cenário televisivo e abriu as portas para ainda mais projetos épicos em plataformas como a Netflix.

O final da série dividiu a opinião dos fãs, principalmente pelo encerramento antecipado de tramas que ainda poderiam ser bem melhor desenvolvidas.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Um dos maiores erros de Game of Thrones foi a caracterização do vilão Euron Greyjoy, vivido por Pilou Asbæk. Agora, um filme do ator dinamarquês na Netflix sofre com o mesmo problema, de acordo com o site Screen Rant.

Confira abaixo tudo sobre o problema do filme Zona de Combate!

Erro familiar na Netflix

A Netflix acaba de lançar seu mais novo filme de ação: Zona de Combate. Infelizmente, segundo o site Screen Rant, o longa comete grandes erros com a caracterização de seu principal antagonista, assim como fez Game of Thrones em suas últimas temporadas.

Tanto o filme quanto a série contam com o ator dinamarquês Pilou Asbæk como um dos principais antagonistas. Em Game of Thrones, o astro viveu o pirata Euron Greyjoy, e em Zona de Combate, o ator interpreta o temido terrorista Victor Koval.

A maior parte da trama de Zona de Combate aborda a busca por Victor Koval, o líder de um perigoso grupo terrorista russo que semeia discórdia e caos na região da Ucrânia.

No início do filme, o personagem supostamente procura por armas nucleares para lançar uma ataque aos Estados Unidos.

Infelizmente, o terceiro ato de Zona de Combate destrói grande parte da caracterização temida de Koval feita nas partes anteriores do filme.

O personagem acaba aparecendo em apenas uma cena breve, na qual dá uma risada maléfica, filosofa sobre guerra e tecnologia e é rapidamente morto por Leo, que também procura pelas armas químicas.

O propósito de Koval no longa, assim, se torna apenas uma pista falsa, criada para distrair o público das verdadeiras intenções de Leo.

É claro que Zona de Combate não representa o único papel de vilão de Pilou Asbæk a ficar longe do potencial, o que é evidenciado pelas últimas temporadas de Game of Thrones.

Euron Greyjoy foi subutilizado, e relegado a um papel muito pequeno nas temporadas finais de Game of Thrones, uma mudança bastante criticada pelos fãs dos livros, nos quais o personagem tem uma importância muito maior.

Nos dois casos, o papel do vilão é criar medo e ameaçar simplesmente com sua aura e energia. E nas duas situações, essa aura é destruída pela utilização inadequada do personagem e a falta de motivações.

Esse não é um novo fenômeno relacionado com o arquétipo do antagonista misterioso, mas acabou prejudicando (e muito) os personagens de Pilou Asbæk em projetos recentes do ator.

Zona de Combate está disponível na Netflix.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio