Baseada em fatos reais? A polêmica história que inspirou A Mulher na Janela

Filme com Amy Adams e Gary Oldman está envolvido em controvérsia

Publicadohá pouco tempo
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

A Mulher na Janela é um thriller psicológico dirigido por Joe Wright – cineasta conhecido pelo filme Orgulho e Preconceito –, baseado no livro de mesmo nome escrito por A. J. Finn. Protagonizado por Amy Adams, o filme mal estreou e já está sendo detonado pela crítica especializada.

Mesmo falhando em conquistar os críticos de cinema, A Mulher na Janela está fazendo sucesso com a audiência da Netflix, estabelecendo-se no Top 10 de filmes mais assistidos na plataforma.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Em sua jornada de mais de três anos para estrear, o filme também foi envolto em polêmicas e controvérsias.

A edição australiana da revista Marie Claire falou sobre o assunto; confira abaixo!

A polêmica de A Mulher na Janela

Embora muitos espectadores tenham acreditado que A Mulher na Janela é inspirado em uma história real, o filme na verdade é apenas uma trama fictícia, que adapta os eventos do livro homônimo do autor A.J. Finn – o pseudônimo do escritor Dan Mallory.

O livro foi lançado originalmente em 2019, e não demorou para seu autor ser exposto como um grande mentiroso, que chegou a enganar a mídia e os leitores com relatos de doenças e problemas familiares.

Um ano depois do lançamento do livro, foi revelado que Mallory estava mentindo sobre diversas doenças – mentiras estas usadas para alavancar sua carreira. O escritor chegou a dizer que havia sobrevivido a um câncer e sofrido com um tumor no cérebro durante a infância.

O autor também falsificou a morte da mãe e do irmão, que de acordo com uma investigação do jornal New Yorker, estão vivos até hoje.

Após a exposição das mentiras, Dan Mallory justificou os atos afirmando sofrer de uma séria desordem bipolar.

A investigação do jornal americano também revelou que Mallory aparentemente usou elementos do enredo de Copycat – A Vida Imita a Morte (um filme dos anos 90 com Sigourney Weaver e Holly Hunter) na trama de A Mulher na Janela.

Outras fontes afirmaram também que o livro de Mallory é idêntico à obra Saving April, lançada por Sarah A. Denzil em 2016.

O livro também acompanha uma mulher de meia idade que sente medo de sair de casa, e passa a vigiar as interações dos vizinhos em sua janela. Os dois livros também compartilham a mesma reviravolta final.

“É exatamente o mesmo enredo, incluindo até mesmo as histórias de origem dos personagens. Essa quantidade de material plagiado não pode ser apenas uma coincidência”, afirmou uma matéria do jornal The New York Times.

A Mulher na Janela está disponível na Netflix.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio