Princesa na Disney, Rapunzel esconde trágica origem

Personagem foi relembrada nas redes sociais por causa do filme Enrolados

Publicadohá pouco tempo
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Rapunzel é conhecida atualmente como uma princesa da Disney. Um dos filmes mais populares dela é Enrolados, de 2010.

A animação, inclusive, fez com que fãs relembrassem da personagem no dia 12 de maio. Nas redes sociais, a princesa virou assunto porque essa é a data do aniversário dela no filme.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

O que muitos não sabem é que a inspiração para Rapunzel é trágica. A personagem surge dos contos dos Irmãos Grimm, aparecendo pela primeira vez em 1815 no livro Contos para a Infância e para o Lar.

A inspiração dos irmãos veio da escritora francesa Charlotte-Rose de Caumont de La Force. Os relatos que trazem a história de Rapunzel foram encontrados em um diário de 1698 – que se basearam ainda em outra lenda.

Assim como alguns contos, os Irmãos Grimm mudaram um pouco a história original. Já para a Disney a tarefa foi maior ao suavizar e praticamente recontar toda lenda.

Real origem de Rapunzel

A história de origem de Rapunzel passa longe de Enrolados ou outras versões da personagem popularizada pela Disney. Conforme o ranker, a princesa surge de um conto do século três.

Rapunzel seria na verdade Santa Bárbara. A mulher era filha de um rico mercador romano.

O ponto em comum com as outras versões da fábula é que Bárbara foi presa em uma torre. O pai dela não queria que a filha se convertesse ao cristianismo. Mesmo assim, a Santa encontrou uma maneira.

Ao mesmo tempo, ela não queria casar e ainda estaria protegendo a própria virgindade. Pelas crenças da filha, o pai tomou uma atitude extrema e matou Bárbara, decapitando a Santa.

Essa história inspirou o conto de Rapunzel. Porém, há mais uma grande tragédia nessa origem.

Mais da história

A história de Santa Bárbara foi recolhida por Tiago de Voragine, o arcebispo de Genoa, em 1275. Nela, como fica claro, o pai é o grande vilão do conto.

Depois, as adaptações colocam uma bruxa má como a vilã e há até versões com um ogro.

Uma outra semelhança é que havia outra razão para o pai esconder Bárbara na Torre. Ela era descrita como uma jovem linda, com vários homens a procurando para casar com ela.

Assim, o mercador queria reduzir o número de candidatos para filha. Ao mesmo tempo, temia que Bárbara gastasse a fortuna da família ao ajudar os pobres. Quando convertida ao cristianismo, no conto, a Santa já ajudava outras pessoas.

A Santa passou anos na torre, recebendo comida e roupas por um cesto. Bárbara continuou a conversão à nova religião quando um estranho enviou um livro para ela.

Há um trecho que diz que ela até engana o pai ao ter a consulta com um padre. O religioso foi disfarçado de médico.

A conversão fez até com que Santa Bárbara pedisse uma mudança na Torre em que estava. Ela queria três janelas, e não duas, com a desculpa que precisava de mais sol. A arquitetura seria uma lembrança da Santíssima Trindade.

Quando o pai dela descobriu, Bárbara sofreu um terrível fim. A Santa foi enviada para prisão e condenada. Ela deveria escolher entre recusar o cristianismo ou ser torturada – Bárbara optou pela segunda opção.

Em praça pública, a mulher foi deixada nua e foi espancada por um juiz com tendões de touros. Depois, teve a pele queimada. Em um outro momento, os seios dela foram cortados e também incendiados.

A fábula original diz que Deus enviou um anjo com um manto para cobrir a Santa Bárbara. Após isso, o pai dela a pegou pelos longos e lindos cabelos, e cortou a cabeça dela. A história termina com um raio matando o mercador romano.

Como pode ser visto, a Disney e outras versões deixaram o conto mais leve.

Enrolados pode ser conferido no Disney+.



Você quer ver produções da Marvel, Star Wars, NatGeo e Pixar? Clique aqui para assinar o Disney+

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio