Filme de Johnny Depp causa polêmica e diretor critica estúdio

Cineasta não concorda com decisão da MGM sobre Minamata

Publicado em 27/7/2021
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Minamata, filme estrelado por Johnny Depp, passa por polêmica pela falta de lançamento. O diretor Andrew Levitas acusa a MGM de “enterrar” o filme simplesmente pelo astro ser o protagonista.

Nos últimos anos, Johnny Depp tem passado por um momento delicado na vida pessoal. Após o divórcio com a atriz Amber Heard, os dois famosos trocam acusações de violência doméstica.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Com a vida focada nos processos, Johnny Depp passou a perder importantes papéis. Antes, o astro de Piratas do Caribe deixou a franquia de Animais Fantásticos, em que foi o vilão Grindelwald.

Agora, Johnny Depp vê o filme Minamata nem chegar aos cinemas dos EUA, mesmo após uma recepção positiva em festivais. Incomodado com a situação, Andrew Levitas publicou uma carta aberta para MGM, criticando o estúdio e defendendo o astro dele.

No filme biográfico, Johnny Depp interpreta o fotógrafo Eugene Smith, que viaja ao Japão nos anos 1970 para investigar e documentar os efeitos de envenenamento de mercúrio em comunidades do litoral do país.

Diretor defende Johnny Depp e ataca estúdio

Levitas aponta na carta que a MGM decidiu comprar os direitos do filme após ver a exibição no Festival de Berlim. O diretor escreveu o texto após descobrir a decisão do estúdio de não lançar o longa nos cinemas dos EUA.

“MGM tinha a intenção de mostrar a história de milhares de vítimas de um dos maiores casos de poluição industrial que o mundo já viu. Ao demonstrar novamente a dor com esse filme, essa comunidade esperava apenas uma coisa – levantar a história para que outras pessoas inocentes não sofram o mesmo. E parecia que com a parceria da MGM, esse desejo se tornaria realidade após uma década”, começou o diretor.

Depois, o cineasta revelou que teria ouvido de Sam Wollman, vice-presidente da MGM, que o estúdio decidiu “enterrar o filme”. Levitas se disse devastado.

“MGM estava preocupada com a possibilidade que os problemas na vida pessoal de um ator poderiam trazer um reflexo negativo e o estúdio, assim, colocou o sofrimento e a dor daquelas famílias em segundo plano”, completou o profissional.

Por fim, o diretor comparou a ação do estúdio com a empresa Chisso, envolvida no caso apresentado no filme. Para Levitas, a vida pessoal de Johnny Depp não deveria se tornar justificativa para uma decisão como essa.

“Diga para as famílias que sofreram com o envenenamento e faça-os entender o motivo da vida pessoal de um ator ser mais importante que as suas crianças, pais e irmãos mortos, além de todas vítimas da poluição industrial”, destacou o cineasta, esperando que o estúdio termine tomando outra decisão.

Com essa polêmica, Minamata, estrelado por Johnny Depp, segue sem previsão de estreia.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Em Alta

Carregando...

Erro ao carregar conteúdo.

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio