Filme de Denzel Washington e Julia Roberts ressurge na Netflix

Longa de suspense foi criticado na época do lançamento

Publicado em 9/8/2021
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

A década de 1990, época da ascensão de Denzel Washington ao estrelato, foi incrível para os fãs que gostam de adaptações cinematográficas de livros. A adaptação de 1993 de Jurassic Park – Parque dos Dinossauros de Michael Crichton lançou uma grande franquia que ainda domina as bilheterias. Fãs de ficção militar tiveram três dos melhores livros de Tom Clancy trazidos à vida no cinema.

O prolífico mestre do terror, Stephen King, teve 13 de suas obras transformadas em filmes, incluindo clássicos como À Espera de um Milagre e Um Sonho de Liberdade. Nicholas Sparks chegou no final da década com Uma Carta de Amor, a primeira de várias adaptações de seus romances.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Para quem prefere suspenses jurídicos tensos, os anos 90 tiveram adaptações de sete livros escritos por John Grisham, começando com A Firma em 1993 e terminando em 1997 com O Homem Que Fazia Chover (via IMDb).

Também foi lançada em 1993 a segunda adaptação de Grisham, O Dossiê Pelicano, que foi amplamente ofuscada pelo papel principal de Tom Cruise em A Firma. Com uma sólida atuação de Denzel Washington, O Dossiê Pelicano ressurgiu no catálogo da Netflix no Estados Unidos, onde pode ganhar um novo ar de popularidade (via Looper).

Filme esquecido com Denzel Washington e Julia Roberts

Em O Dossiê Pelicano, Denzel Washington interpreta Gray Grantham, um repórter do Washington Herald que eventualmente cruza com a estudante de direito Darby Shaw (Julia Roberts). O filme começa com o assassinato chocante de dois juízes da Suprema Corte. Logo após os assassinatos, Shaw escreve um documento jurídico teorizando o motivo e a suspeita por trás dos assassinatos.

O resumo eventualmente acaba nas mãos de Gavin Verheek (John Heard), um conselheiro especial do Diretor do FBI. Quando as pessoas ao redor de Shaw são mortas e ela é caçada por assaltantes desconhecidos, ela percebe que sua teoria é verdadeira.

Não sabendo em quem confiar, Shaw se volta para Grantham, e os dois empreendem a perigosa tarefa de reunir evidências para derrubar aqueles por trás da conspiração mortal – tudo isso enquanto correm contra o relógio e seus perseguidores.

A combinação de Washington e Roberts é exatamente o que se esperaria de uma dupla de atores vencedores do Oscar.

Roberts brilha como uma estudante de direito cujo mundo está de pernas para o ar, e Washington interpreta Grantham com uma determinação sincera, comum na maioria de seus papéis. Aqueles que procuram ação ao estilo de Jason Bourne ficarão muito desapontados com O Dossiê Pelicano, já que se baseia mais no diálogo do que em explosões, perseguições de carros e tiroteios.

O Dossiê Pelicano estreou apenas seis meses depois de A Firma, forçando-se a uma comparação nada invejável com seu antecessor. Apesar das ótimas performances dos atores principais, O Dossiê Pelicano teve críticas divididas na época de seu lançamento, atraindo reclamações por seu “suspense injustificado”.

Enquanto O Dossiê Pelicano está disponível na Netflix dos Estados Unidos, ele ainda não faz parte do catálogo da gigante do streaming no Brasil, mas pode ser comprado ou alugado através de YouTube e Google Play Filmes.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Em Alta

Carregando...

Erro ao carregar conteúdo.

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio