Justiça em Família: Explicamos o final do filme com Jason Momoa

Desfecho do longa da Netflix revela que Rachel assume a identidade do pai

Publicado em 20/8/2021
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Justiça em Família, o mais novo filme de ação de Jason Momoa, já está disponível na Netflix. O longa acompanha a história de um pai de família em busca de vingança, após a esposa morrer pelas ações inescrupulosas de uma empresa farmacêutica. O longa termina com um final relativamente feliz – para o protagonista e sua família.

24 meses após seu encontro com Bennett, o protagonista Ray tenta esquecer o que ficou sabendo. Enquanto isso, a senadora Diana Morgan anuncia que sua campanha firmou uma parceria com a empresa BioPrime.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Mesmo com a insistência de Rachel em chamar as alegações de Bennett de “conspiração”, Ray se infiltra em um evento de caridade e confronta Keeley, obrigando-o a reconhecer o dano que causou em tantas pessoas. Na briga, Keeley afirma se inocente do assassinato de Bennett.

No confronto, Ray ganha um novo alvo: o acionista Vinod Shah. Após sufocar Keeley, o protagonista foge da cena do crime. O personagem volta para casa, pega Rachel e os dois fogem da polícia.

O desfecho de Justiça em Família na Netflix

Enquanto Ray persegue Shah, Rachel contata Meeker e pede para eles deixarem o pai em paz, enquanto revela memórias tocantes de sua mãe para o paciente agente.

O encontro de Ray com Shah acaba saindo pela culatra, mas dessa vez, a culpa não é de Ray. Na verdade, ele e Rachel estavam sendo perseguidos pelo mesmo mercenário (Amo) que matou Bennett, instruído a matar “qualquer pessoa que pudesse implicar seu empregador”.

Eventualmente, o matador confessa que foi contratado por Morgan, o que oferece um novo alvo para Ray. De volta a Pittsburgh, Ray e Rachel são interceptados pelas autoridades, e o protagonista foge para um estágio lotado. O personagem de Jason Momoa chega até o teto da arena (a cena em que o filme começa), o que leva Meeker a tentar convencê-lo a descer.

A trama de Justiça em Família, então, revela que o filme não conta a história de Ray, mas sim de Rachel. Na verdade, Ray morreu naquele fatídico dia no metrô. Rachel ficou tão traumatizada pelo evento, que chegou a dedicar os últimos dois anos de sua vida para se reconstruir.

A revelação não é exatamente uma surpresa. No início do filme, o personagem de Jason Momoa afirma: “às vezes não sei se essas memórias são minhas ou dela… Pais e seus filhos, onde nós paramos e eles começam?”.

Ou seja, durante esse tempo todo, Rachel apenas se imaginou como o pai. Quase todas as cenas de Ray no filme, na verdade, foram protagonizadas por Rachel.

Após os eventos dramáticos no estádio de baseball, Meeker e Rothman dopam Rachel e a colocam em uma ambulância. A personagem acorda a caminho do hospital e consegue escapar.

O filme termina pouco depois, quando Rachel entra em um prédio do governo, mata o assassino profissional e confronta Morgan. A protagonista obriga a senadora a confessar todos os seus crimes. Dias depois, ela envia um áudio com a confissão de Morgan para Meeker, antes de embarcar em um avião.

O longa termina com a narração de Jason Momoa repetindo a mesma frase: “Pais e seus filhos, onde eles param… E nós começamos”.

Em uma entrevista ao site Screen Rant, a atriz Isabela Merced, intérprete de Rachel, avaliou a possibilidade da produção de uma sequência.

“Acho que temos o potencial para produzir uma sequência sobre a história de origem. Como ela chegou a esse ponto? Como ela ficou tão destruída pelo trauma, a ponto de ter que fingir ser outra pessoa?”, comentou a atriz.

Justiça em Família já está disponível na Netflix.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Em Alta

Carregando...

Erro ao carregar conteúdo.

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio