Filme com ator de Crepúsculo é detonado e chamado de “explorador”

Blue Bayou vem recebendo críticas por sua representação de pessoas adotadas enfrentando a deportação nos Estados Unidos

Publicado em 22/09/2021 21:15
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Blue Bayou, de Justin Chon, ator de Crepúsculo, está sendo criticado por sua representação “exploradora” de pessoas adotadas enfrentando a deportação nos Estados Unidos.

O drama, que também teve roteiro e direção do ator de Crepúsculo, mostra-o no papel de Antonio, um imigrante de origem coreana, adotado nos Estados Unidos, que ganhou fama como tatuador na Louisiana e está tentando fazer o certo por sua esposa grávida e sua filha.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Com um novo bebê a caminho, ele se propõe a encontrar mais trabalho. Mas seus planos foram interrompidos abruptamente quando ele concordou em ajudar alguns ladrões locais a roubar um monte de motos sofisticadas e acabou sendo pego pela polícia.

Pouco depois de sua prisão, Antonio fica sabendo que o governo planeja deportá-lo, uma decisão que ele e sua esposa não podem aceitar.

Drama envolvido em polêmica

Desde o lançamento do drama, membros da comunidade de pessoas adotadas recorreram às redes sociais para motivar o público a boicotar o filme e criticá-lo por não “informar à comunidade questões essenciais de adoção ou compartilhar mensagens de verdadeiros ativistas adotados”.

A Diretora de Comunicações da Dallas Truth, Racial Healing & Transformation, Stephanie Drenka, que é de origem coreana e foi adotada quando jovem por uma família nos Estados Unidos, afirmou (via Digital Spy): “Justin Chon poderia ter escalado uma pessoa adotada para o papel principal.”

“A equipe de marketing e relações públicas de Blue Bayou deveria ter usado seus recursos e plataforma para ampliar um apelo à ação sobre o apoio à Lei de Cidadania dos Adotados.”

Também de origem coreana e adotado nos Estados Unidos, Adam Crapser alegou que o ator de Crepúsculo o procurou com a ideia de transformar a história de sua vida em um filme, mas ignorou todos os seus pedidos sobre o projeto. Ele então o acusou de ter explorado sua história, sem o seu consentimento, para obter lucro.

“Eu sou uma pessoa real. Não sou um personagem de Hollywood feito para obter lucro, buscar prêmios ou provocar lágrimas”, Crapser – que foi deportado em 2016 – escreveu no Facebook.

No Brasil, ainda não há distribuição confirmada para Blue Bayou, com Justin Chon, de Crepúsculo.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Em Alta

Carregando...

Erro ao carregar conteúdo.

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio