Publicidade

Polêmica mundial

Símbolo de Shang-Chi esconde triste verdade na Marvel

Emblema dos Dez Anéis sofreu modificações no decorrer do MCU

Publicado por Alexandre Guglielmelli

14/09/2021 08:00

Shang-Chi e a Lenda dos Dez Anéis está em cartaz nos cinemas brasileiros, e vem fazendo o maior sucesso no mundo todo. A organização que dá título ao filme, esteve presente no MCU desde o sequestro de Tony Stark, agindo principalmente nas sombras. O que muitos fãs não sabem é que o símbolo da organização conta com tristes referências, e já causou polêmica na Marvel.

Os problemas começaram quando o emblema dos Dez Anéis, introduzido em Homem de Ferro, ganhou um novo design para Shang-Chi.

Quando o grupo dos Dez Anéis fez sua estreia em 2008, foi caracterizado como uma organização terrorista vagamente árabe, com base no Afeganistão. Mesmo com todos esses detalhes, o emblema contou inexplicavelmente com caracteres da linguagem mongólica.

Essa foi uma decisão consciente da designer Dianne Chadwick, que justificou a mudança com a história por trás dos Dez Anéis. No entanto, quando a organização retornou como terrorista em 2013, até mesmo o governo da Mongólia protestou em uma carta formal.

O site CBR explicou tudo sobre a polêmica e a mudança na Marvel; confira abaixo.

O importante símbolo dos Dez Anéis em Shang-Chi

Para Shang-Chi e a Lenda dos Dez Anéis, a Marvel mudou mais uma vez os caracteres do símbolo da organização, trocando as letras mongólicas por caracteres chineses.

Neste ano, Oyungerel Tsedevdamba, o Ministro da Cultura, Esportes e Turismo da Mongólia, expressou arrependimento por ter enviado a comunicação oficial à Marvel. Mas infelizmente, já era tarde demais.

As letras foram trocadas por caracteres chineses para refletir a organização dos Dez Anéis como integrante do poder de Wenwu, o pai do protagonista Shang-Chi.

Mas a verdade incômoda sobre a troca dos caracteres de Shang-Chi se encontra nas turbulentas relações entre a China e a Mongólia na vida real.

De acordo com o site Screen Rant, nos últimos anos o Partido Comunista Chinês passou a trabalhar cada vez mais duro em apagar as culturas das minorias do país.

Essa luta pela hegemonia cultural afeta principalmente os povos Uyghur e tibetanos, além da população de Hong Kong e de parte da Mongólia.

De acordo com a publicação, o CCP teria continuado a modificar todos os aspectos da cultura mongoliana, fazendo com que esta seja suprimida ou erradicada. 

“Professores da língua tradicional, por exemplo, sofrem pressão para abandonar o dialeto em favor do mandarim, em um suposto programa de educação bilíngue”, explica a publicação.

Em 2020, por exemplo, o Governo Chinês pressionou em museu na cidade francesa de Nantes a deixar de usar qualquer nomenclatura relacionada à história da Mongólia, o que fez o museu adiar uma exibição focada em Genghis Khan.

O que deveria ser um sinal positivo para a representatividade na Marvel, segundo o Screen Rant, também deve ser enxergado no contexto do mercado chinês, considerado um dos mais importantes do mundo junto com o dos Estados Unidos.

Shang-Chi e a Lenda dos Dez Anéis já está em cartaz nos cinemas brasileiros.

Clique aqui para assinar o Disney+ e assistir aos filmes da Marvel.

Publicidade