Publicidade

Detalhe importante

Alerta Vermelho: Lenda sobre sala secreta de Hitler existe na vida real

Mostrado na Netflix, Bunker repleto de artefatos nazistas foi encontrado em 2017

Publicado por Alexandre Guglielmelli

15/11/2021 21:00

Em Alerta Vermelho, os protagonistas de Gal Gadot, Dwayne Johnson e Ryan Reynolds viajam pelo mundo em busca do terceiro Ovo de Cleópatra. Uma das paradas do trio é na Argentina, onde o artefato estava escondido em um bunker secreto de Hitler – que existe na vida real. Explicamos abaixo tudo que você precisa saber sobre essa história.

Os Ovos de Cleópatra chamaram a atenção de muitos espectadores da Netflix em Alerta Vermelho, mas não existem na vida real. Na verdade, os artefatos foram criados especialmente para o longa da plataforma.

Mas o esconderijo dos artefatos na Argentina é real, e foi encontrado pela polícia do país em 2017, em uma das maiores apreensões de artefatos nazistas dos últimos anos.

Após a Segunda Guerra Mundial, muitos nazistas do alto escalão escaparam para a Argentina, onde esconderam suas identidades e viveram o resto de seus dias longe do alcance das autoridades.

Bunker nazista de Alerta Vermelho na Argentina

Em 2017, uma enorme quantidade de artefatos nazistas – incluindo uma fotografia de Adolf Hitler e um sinistro instrumento de medição cranial – foi encontrada em um bunker secreto em Buenos Aires, e se tornou a maior apreensão do tipo da história da Argentina.

A polícia argentina, em parceria com a Interpol, vasculhou a casa de um colecionador de antiguidades no subúrbio de Béccar, onde encontrou uma passagem secreta e uma sala escondida com aproximadamente 75 objetos nazistas.

Entre os artefatos, destacam-se diversas lunetas encravadas com suásticas, que de acordo com uma fotografia, foram usadas pelo próprio Hitler.

Nestor Roncaglia, o chefe nacional da polícia da Argentina, contou também que a coleção inclui um instrumento médico utilizado para medir o tamanho de crânios – fator utilizado pelos nazistas para determinar a “pureza racial” das pessoas.

Investigações sobre a origem dos itens e como eles chegaram à Argentina ainda não terminaram, mas especialistas têm uma boa ideia sobre o que pode ter acontecido.

À medida que a Segunda Guerra Mundial chegava ao fim e a derrota dos nazistas se tornava iminente, os ratos começavam a abandonar o navio. A Argentina se tornou um dos principais destinos para os criminosos, e serviu como “tábua de salvação” para algumas das figuras mais sinistras do Terceiro Reich.

Oficiais de alto escalão, como Josef Mengele – um médico de campos de concentração conhecido por seus experimentos terríveis em judeus e pela alcunha Anjo da Morte – e Adolf Eichmann (o principal responsável pelos campos) fugiram para o país ao final do conflito.

Vale lembrar que a Argentina manteve relações relativamente amigáveis com o regime de Hitler durante a Segunda Guerra Mundial, o que indica que os artefatos encontrados foram levados ao país pelos próprios nazistas fugitivos.

“Eles claramente trouxeram artefatos que eram importantes para o regime nazista”, afirmou Dr. Wesley Fisher, Diretor de Pesquisa do Centro de Conferência dos Bens de Judeus Apreendidos pela Alamanha Nazista.

Alerta Vermelho continua disponível no catálogo da Netflix.

Publicidade