Publicidade

Chocante

Homem preso por 16 anos por estupro é inocentado graças a filme da Netflix

Anthony Broadwater foi injustamente condenado

Publicado por Guilherme Coral

25/11/2021 15:28

A justiça americana inocentou Anthony Broadwater, acusado de ter estuprado a escritora Alice Sebold. Ele foi permaneceu injustamente preso por 16 anos, determinaram as autoridades. O processo foi reexaminado graças a um filme da Netflix.

A autora, hoje com 58 anos, relatou o estupro que sofreu na autobiografia Lucky, publicada em 1999. Ela revelou ter sido vítima do ato em 1981, quando estava na Universidade Syracuse.

Ela disse ter sido atacada por um homem negro enquanto voltava para casa. Meses depois, ela foi abordada por alguém que pensou ser o estuprador dela.

“Ele estava sorrindo quando se aproximou e me reconheceu. Era um passeio no parque para ele. Ele encontrou uma conhecida na rua”, escreveu a autora.

Sebold decidiu ir à polícia, mas sem saber a identidade de quem praticou o ato de violência contra ela. Um policial sugeriu que Broadwater poderia ser o culpado.

Broadwater foi detido e levado à delegacia junto de outros suspeitos. Sebold apontou outra pessoa como o estuprador. Mas somente em depoimento no tribunal apontou Broadwater como o criminoso.

Ele foi injustamente condenado após a utilização de um método de análise forense, que não é mais usado hoje em dia, tendo em vista que foi comprovado como não sendo confiável.

Caso reaberto por conta de filme da Netflix

A adaptação de Lucky, da Netflix, ajudou a reabrir o caso. O produtor executivo da adaptação, Tim Mucciante, estranhou a condenação de Broadwater e começou uma investigação por conta própria, abandonando a produção de Lucky.

Após entrar em contato com a equipe de Broadwater e uma nova apuração começou. Analisando as evidências novamente, o homem acabou sendo inocentado.

Anthony Broadwater deixou a prisão em 1999, mas o nome dele permaneceu no registro de agressores sexuais de Nova York, prejudicando as chances dele de encontrar emprego e também de iniciar novos relacionamentos.

Ele acabou se casando, mas recusou-se a ter filhos com a esposa, dizendo que não gostaria de passar esse estigma para as crianças.

Publicidade