Publicidade

História trágica

Yara: Quem é o assassino e o que aconteceu com ele

Crime que chocou a Itália vira filme e conquista fãs na Netflix

Publicado por Redação

22/11/2021 07:30

O filme Yara acompanha a história de um crime real que chocou a Itália em 2010. Com uma trama trágica e sem rodeios, o filme conquista fãs no mundo inteiro. Quem já conferiu a trama do longa quer saber: o que aconteceu com Massimo Bossetti, o responsável pelo terrível crime, na vida real? Por onde anda o assassino atualmente? Respondemos abaixo todas essas perguntas.

Yara é baseado na história real do desaparecimento e assassinato de Yara Gambirasio, uma garota italiana morta em meados de novembro de 2010.

O roteirista Graziano Diana e o diretor Marco Tulio Giordana optaram por produzir um filme com um tom equilibrado, sem se apegar a grandes demonstrações de emoção. Com essa estratégia, os eventos falam por si só, com uma eficiência devastadora.

Yara Gambirasio desapareceu enquanto voltava para a casa de um centro esportivo da cidade de Bérgamo, em 26 de novembro de 2010. Mesmo com uma enorme busca realizada por centenas de voluntários, o corpo de Yara só foi encontrado 3 meses depois do desaparecimento, em fevereiro de 2011, a cerca de 10 quilômetros do centro esportivo.

Como Massimo Bossetti foi preso em Yara?

O filme da Netflix aborda também outros aspectos reais do caso, como a análise do DNA encontrado nas roupas da vítima. A operação massiva incluiu a coleta de amostras genéticas de mais de 22 mil pessoas – tornando-se assim a maior investigação de DNA da história da Itália.

A investigação levou à prisão de Massimo Giuseppe Bossetti, que na época tinha 43 anos.

Uma das partes mais interessantes do filme – o plano complicado que levou os investigadores à Ester Arzuffi, a mãe de Bossetti – aconteceu na vida real.

Além disso, a maneira como um simples teste de bafômetro foi utilizado para coletar o DNA de Bossetti e corroborar a evidência, também é uma adaptação da investigação real. O criminoso foi preso em junho de 2014.

O que aconteceu com Massimo Bossetti após a prisão?

Mesmo após a prisão, Massimo Bossetti continua defendendo sua inocência, alegando que as provas de DNA foram forjadas ou contaminadas pelas informações genéticas de outras pessoas.

A polícia manteve que as amostras eram de “excelente qualidade”, e Bossetti não pôde apelar da decisão.

Em janeiro de 2015, um conselheiro científico da Corte Italiana afirmou que o DNA “Ignoto 1”, utilizado na investigação, pode não corresponder à informação genética de Bossetti – o que pode indicar um erro na investigação.

Os advogados de Bossetti entraram com um pedido para a reanálise da evidência e solicitaram que o cliente passe por um novo julgamento.

“Existe uma óbvia anomalia: o DNA mitocondrial não corresponde ao DNA nuclear. Isso deve, no mínimo, levantar a questão sobre o processo que levou a essa identificação, e se ele foi feito de maneira correta ou não”, afirmaram os advogados do detento.

Em 1 de julho de 2016, a Corte de Apelos da região de Bergamo confirmou a pena imposta anteriormente a Bossetti e condenou o criminoso à prisão perpétua. Em julho de 2017, a Corte de Apelos de Breschia confirmou a decisão. Em 12 de outubro de 2018, outra corte superior também confirmou a sentença.

Finalmente, em novembro de 2019, os advogados de Bossetti pediram uma nova revisão da evidência de DNA. Em janeiro de 2021, a solicitação foi aceita. Como o caso ainda corre na justiça italiana, mais novidades devem ser divulgadas nos próximos meses.

Yara está disponível na Netflix.

Publicidade