Mais do que você gosta.

Publicidade

Contém spoilers

Novo filme da Netflix tem um dos melhores finais do cinema em 2021

Desfecho de Ataque dos Cães, com Benedict Cumberbatch é marcado pelo simbolismo

Publicado por Alexandre Guglielmelli

06/12/2021 21:00

Ataque dos Cães já é um dos lançamentos mais elogiados da Netflix em 2021, principalmente devido à atuação impecável de Benedict Cumberbatch e seu desfecho chocante. O final do filme aborda conceitos como masculinidade, amor e religião – tudo isso em um esquema complicado que termina com a morte do protagonista Phil Burbank.

Para garantir uma vida tranquila para sua mãe e pai adotivo, Peter dá ao personagem de Benedict Cumberbatch uma pele de vaca infectada com antraz. Ao construir a corda do jovem com o couro tóxico – tudo isso com as mãos machucadas – Phil acaba morrendo envenenado.

Continua depois da publicidade

O desfecho do longa também confirma Phil como um homem gay, que esconde sua verdadeira sexualidade sob uma fachada de sujeira e masculinidade.

A conclusão de Ataque dos Cães é marcada também por dois aspectos importantes, que podem ter passado despercebidos pelos espectadores: o verso bíblico que dá nome ao filme e a importância das mãos de Phil. O site Thrillist explicou tudo que os fãs precisam saber sobre esses elementos; veja abaixo.

O verso bíblico de Ataque dos Cães

O filme de Jane Campion e o livro de Thomas Savage referenciam um versículo bíblico no título.

No final do longa, Peter lê o verso do Salmo 22 em voz alta: “Livra-me da espada, livra minha vida do Ataque dos Cães”.

O livro de Thomas Savage deixa claro que é o “cão”, independente da perspectiva bíblica: Phil, que com seus maus tratos, faz Rose beber.

“Graças ao sacrifício de seu pai e ao sacrifício que ele próprio fez a partir do conhecimento obtido nos grandes livros pretos de seu pai, o cão finalmente morre”, afirma o livro original.

O personagem de Benedict Cumberbatch realmente é como um cão. Ele “late” para George e faz de tudo para irritar Rose. Como um cãozinho com um osso, ele protege ferozmente os itens pelos quais se importa: o lenço e a sela de Bronco Henry, seu mentor, e discutivelmente seu amante.

A novelista Annie Proulx, que escreveu o posfácio do livro, afirma também que o termo “cão” também pode ser referir à criatura canina feita de sombras, a qual Bronco Henry treinou Phil para reconhecer nas montanhas – um animal reconhecido imediatamente por Peter quando Phil o questiona.

Como a maioria dos colegas cowboys de Phil não conseguem enxergar essa criatura, o protagonista utiliza sua suposta existência para provar a própria superioridade.

Mas Peter o pega de surpresa, e sua habilidade de ver o que Phil acreditava que aparecia apenas para ele dá ao personagem uma grande vantagem.

As mãos de Phil Burbank

Para plantar as sementes do final surpreendente, o livro de Thomas Savage dá grande foco às mãos de Phil Burbank.

No terceiro parágrafo da obra, Savage afirma que Phil sempre se recusou a usar luvas.

“Ele ignorava bolhas, cortes e farpas e desprezava aqueles que usavam luvas para se proteger. Suas mãos eram secas, poderosas, magras. Ele tinha muito orgulho por não usar luvas”, comenta o autor.

No filme, Jane Campion foca em gestos, dedos e na maneira como os personagens seguram objetos.

Ataque dos Cães mostra Phil trabalhando com as mãos nuas, mesmo enquanto castra um boi. O longa também mostra o personagem acariciando o lenço de Bronco Henry e eventualmente se masturbando com a lembrança.

As mãos também definem a interação final entre Phil e Peter. Phil fica ocupado com a corda que estava construindo para Peter, quando o jovem usa as mãos para enrolar um cigarro. Ele o leva aos lábios de Phil em uma cena repleta de sensualidade.

Mas o sentido da cena é bem diferente do que pensam os espectadores: a mensagem passada estabelece que as mãos de Peter são livres enquanto as de Phil ficam ocupadas – exatamente naquilo que se provaria a razão de sua morte.

Ataque dos Cães está disponível no catálogo brasileiro da Netflix.

Publicidade