Mais do que você gosta.

Publicidade

Sem spoilers

A surpreendente história real por trás de O Massacre da Serra Elétrica

O Legado de Leatherface, na Netflix, tem inspirações em assustador serial killer

Publicado por Alexandre Guglielmelli

19/02/2022 21:00

Considerado um dos filmes de terror mais importantes de todos os tempos, O Massacre da Serra Elétrica revolucionou o cinema dos anos 70 com um enredo extremamente violento, mas marcado por um importante comentário social anti-Guerra do Vietnã. O longa acaba de ganhar uma continuação na Netflix, mas o que muitos fãs não sabem, é que a trama original foi inspirada por uma chocante história real.

“Nesta sequência, um grupo de jovens decide dar vida nova a uma cidade-fantasma no Texas, mas acaba se deparando com Leatherface, o famoso maníaco da serra elétrica”, afirma a sinopse de O Massacre da Serra Elétrica: O Retorno de Leatherface na Netflix.

Continua depois da publicidade

Mais uma vez, o longa conquista fãs com muito sangue e violência. Assim como o primeiro filme, o novo Massacre da Serra Elétrica relaciona as cenas aterrorizantes a outro tema polêmico da vida real.

O site CinemaHolic explicou tudo sobre a história real que inspira a trama de O Massacre da Serra Elétrica; confira abaixo.

Conheça a história real de O Massacre da Serra Elétrica na Netflix

O assassino Leatherface – com sua famosa máscara de pele humana e sanguinária motosserra – é inspirado em Ed Gein, um serial killer da vida real.

Também conhecido como o Açougueiro de Plainfield, Gein realmente tinha o hábito de criar “artesanato” com a pele das vítimas – embora não utilizasse uma serra elétrica em seus crimes.

O assassino é considerado um dos mais famosos de todos os tempos, e além de inspirar Leatherface, serve como base para alguns dos maníacos mais assustadores da cultura pop, como o Norman Bates de Psicose e o Buffalo Bill de O Silêncio dos Inocentes.

Embora seja sempre citado entre os serial killers mais conhecidos do mundo, Ed Gein não se encaixa na definição de assassino em série. Na verdade, o maníaco só matou duas mulheres.

Para conseguir as peles para sua arte macabra, Ed costumava vasculhar cemitérios em busca de corpos femininos recém-enterrados.

O “surto” de Ed Gein começou após a morte da mãe, considerada por ele “sua única amiga”. Pouco depois, ele começou a exumar corpos de mulheres que se pareciam com a mãe falecida, utilizando as peles para criar roupas e máscaras.

De acordo com especialistas, o verdadeiro objetivo de Ed Gein era criar uma espécie de “traje feminino” para literalmente entrar na pele da mãe.

As duas mulheres mortas por Ed Gein, foram executadas a tiros – um método muito diferente do utilizado por Leatherface em Massacre da Serra Elétrica.

Mas assim como o Leatherface e sua família, Gein vivia em uma casa isolada em uma área rural dos Estados Unidos.

E dentro dessa casa, a polícia encontrou um verdadeiro museu macabro, repleto de caveiras humanas, máscaras de pele, corsetes feitos com pele humana, um cinto produzido com mamilos e diversos outros “produtos artesanais” produzidos com os corpos das vítimas.

Ou seja: não é difícil entender como essa macabra história inspirou a trama de O Massacre da Serra Elétrica.

Mas afinal, o que aconteceu com Ed Gein na vida real? Após a descoberta de sua “arte”, o assassino foi condenado à prisão perpétua em uma instituição psiquiátrica, onde faleceu por problemas respiratórios em 1984, aos 77 anos.

O Massacre da Serra Elétrica: O Retorno de Leatherface já está disponível na Netflix.

Publicidade