Mais do que você gosta.

Publicidade

Em breve

Documentário da Netflix sobre crime real causa polêmica antes da estreia

Temática de Pai Nosso? tem tirado o sono dos espectadores nas redes sociais

Publicado por Alexandre Guglielmelli

27/04/2022 19:30

Mesmo antes de estrear na Netflix, o documentário Pai Nosso? já causa polêmica nas redes sociais. Após a divulgação do primeiro trailer, muitos assinantes da plataforma questionaram a temática da produção e a reação do sistema jurídico à chocante história do médico Donald Cline.

“Uma mulher faz um teste de DNA e descobre vários meios-irmãos, revelando um esquema chocante que envolve um famoso especialista em inseminação artificial”, afirma a sinopse oficial de Pai Nosso? na Netflix.

A produção documental acompanha a história de Donald Cline, um médico especialista em inseminação artificial – que entre os anos 70 e 80, inseminou mais de 50 mulheres com seu próprio sêmen.

O processo, obviamente, foi conduzido sem o consentimento das mulheres. O site Looper revelou tudo sobre a polêmica do documentário na Netflix; veja abaixo.

Por que o documentário Pai Nosso? causa polêmica na Netflix

O trailer de Pai Nosso? faz um ótimo trabalho ao mostrar a gravidade dos atos de Donald Cline.

Inúmeras mulheres foram enganadas em relação aos parâmetros de um delicado procedimento médico – o que causou terríveis e vastas consequências.

Décadas depois, diversas pessoas começam a perceber que suas vidas não são o que elas acreditavam.

Os bebês nascidos pelas inseminações do Dr. Donald Cline, atualmente adultos, têm inúmeros meios-irmãos desconhecidos.

A polêmica de Pai Nosso? não acontece pela abordagem do filme da Netflix, mas sim pela reação da Justiça americana aos atos do médico.

“Estou confusa: como isso não é um crime?”, questionou uma assinante da Netflix no Twitter.

De acordo com um detetive consultado pelo documentário, a resposta não é tão simples. Na verdade, o ordenamento jurídico americano não considera crimes os atos do Dr. Donald.

Mesmo tendo sido inseminadas sem consentimento, as vítimas do médico sofrem enormes dificuldades para garantir qualquer tipo de consequência ou punição judicial.

Liz White, por exemplo, foi uma das mulheres inseminadas pelo médico. Ao descobrir o que realmente havia acontecido, ela percebeu que a lei americana não traz qualquer tipo de proteção para casos como esse.

No final das contas, Cline só foi acusado (oficialmente) de obstrução de justiça.

Atualmente, a família White e outras vítimas do médico lutam pela criação de leis contra a “fraude de fertilidade”.

Em 2019, o estado americano de Indiana se tornou o primeiro a incluir esse tipo de fraude em seu ordenamento legal.

Hoje em dia, qualquer médico que utilizar o próprio esperma (sem o consentimento da paciente) em inseminações artificiais realizadas no estado, pode ser processado judicialmente.

Para saber mais sobre essa história, você pode assistir ao documentário Pai Nosso?, que estreia na Netflix em 11 de maio de 2022. Veja abaixo o trailer.

Publicidade