Mais do que você gosta.

Publicidade

Contém spoilers

Eternos arruma um dos piores erros de Vingadores: Ultimato

Filme da Marvel acerta ao trazer empatia e responsabilidade na trama de heroína

Publicado por Alexandre Guglielmelli

09/02/2022 08:30

Embora não tenha feito muito sucesso com a crítica especializada, Eternos conquistou os fãs da Marvel com uma trama sensível e criativa. Segundo o site Screen Rant, o longa disponível no Disney+ faz um ótimo trabalho ao consertar um dos piores erros de Vingadores: Ultimato: a maneira que o MCU lida com a saúde mental dos heróis.

No universo cinematográfico da Marvel, alcoólatras já foram usados como alívio cômico, e toda a trama de Capitão América: Guerra Civil, aconteceu pela inabilidade dos personagens de manterem uma comunicação honesta sobre luto e tristeza.

Continua depois da publicidade

Mas o exemplo mais flagrante da inabilidade da Marvel em abordar a saúde mental dos heróis pode ser visto em Vingadores: Ultimato, particularmente na trama do “Thor gordo”.

De acordo com o Screen Rant, Eternos muda esse cenário com a trama de Thena, a personagem interpretada por Angelina Jolie.

Como Eternos conserta a trama de Thor em Vingadores: Ultimato

Em Eternos, a diretora Chloe Zhao caracterizou a relação de Thena com Mahd Wy’ry como um dos principais temas.

Thena e os outros Eternos, inicialmente, acreditam que a doença é causada pelo peso das memórias de milhares de anos.

No entanto, o filme eventualmente revela que Thena estava se lembrando de missões anteriores em outros planetas, que terminaram com a destruição dos povos que os Eternos haviam passado séculos protegendo.

Dessa forma, o Madh Wy’ry pode ser chamado da versão imortal do estresse pós-traumático – e Eternos aborda essa trama de maneira gentil e responsável.

Antes da Fase 4 do MCU, o exemplo mais óbvio da caracterização de desordens mentais acontece na trama de Thor, em Vingadores: Ultimato.

O filme foi muito criticado pela maneira como aborda a trama do “Thor Gordo”, que serve basicamente como um alívio cômico para a história.

“Embora o luto e a dor de Thor sejam zoados pelos outros Vingadores, para os espectadores, é óbvio o fato do personagem estar sofrendo com depressão, estresse pós-traumático e uma desordem alimentar. Seus amigos, os heróis que salvam o universo, o tratam como uma piada”, analisa o site Screen Rant.

O trauma de Thor e a doença de Thena em Eternos

Para chegar a esse ponto, Thor sofreu alguns dos maiores traumas do MCU. O asgardiano passou pela morte dos pais, a destruição de sua terra natal, o assassinato dos irmãos e a destruição de metade dos habitantes do universo.

Basicamente, Thor carrega o peso do mundo nos ombros, e quando mais precisa de ajuda, seus amigos tratam sua dor como fraqueza.

Apenas Frigga, a mãe morta do herói, aborda o sofrimento de Thor como algo real, não como um defeito ou piada.

É só a partir da reflexão da mãe que Thor começa a superar o trauma. Em Eternos, por outro lado, a trama de Thena é tratada de maneira bem mais responsável.

Mesmo quando Thena representa um perigo para si mesma e para os outros, Gilgamesh promete ficar ao seu lado e manter a parceira a salvo.

Esse apreço muda completamente a história de Thena. Os Eternos não encaram a doença da personagem como motivo de vergonha, mas como parte de sua personalidade.

“Melhor ainda, os Eternos permitem que Thena faça piadas sobre sua própria história. Ou seja: eles riem com ela, e não dela. Ao modificar a narrativa da doença mental, o filme oferece à personagem o tempo para melhorar”, conclui a análise do site Screen Rant.

Vingadores: Ultimato e Eternos estão disponíveis no Disney+. Clique aqui para assinar a plataforma.

Publicidade