Mais do que você gosta.

Publicidade

Controvérsia

Filme da Netflix reacende forte discussão política no Egito

Perfeitos Desconhecidos causa polêmica e sofre boicote no Oriente Médio

Publicado por Alexandre Guglielmelli

05/02/2022 08:00

A Netflix se envolveu em mais uma polêmica com o lançamento de Perfeitos Desconhecidos, e desta vez, pode criar um verdadeiro incidente internacional com países do Oriente Médio, particularmente o Egito. A controvérsia mostra também o embate entre o conservadorismo e a modernidade, e reacende uma forte discussão política e social.

Um jantar sai dos trilhos depois que um grupo de bons amigos concorda em deixar os celulares desbloqueados na mesa, expondo interações picantes e segredos sombrios”, afirma a sinopse do longa.

Continua depois da publicidade

O filme é um remake do longa italiano de mesmo nome, lançado originalmente em 2016. Embora a descrição não pareça tão polêmica, seu conteúdo está dando o que falar no Egito.

No país do Oriente Médio, conservadores já pedem o boicote ao filme e à Netflix. Segundo o crítico de cinema Joseph Fahim, a polêmica representa um “cabo de guerra” entre a sociedade tradicional do Egito e o desejo do país em mostrar uma imagem democrática no cenário internacional.

Tudo sobre a polêmica da Netflix no Egito

Na verdade, a polêmica de Perfeitos Desconhecidos no Egito está mais relacionada a uma integrante do elenco: a atriz Mona Zaki, uma das mais famosas do país.

Zaki é uma das atrizes mais amadas do Egito. Ela construiu sua carreira interpretando mocinhas inocentes. Mas nesse filme, ela realmente mostra seu talento”, afirmou Joseph Fahim ao site NPR.

No filme da Netflix, a personagem de Zaki é Maryam, uma mulher casada que vive um relacionamento extraconjugal, fala o que pensa e, em uma cena, tira a calcinha debaixo do vestido (é importante citar que o filme não mostra cenas de nudez).

Milhares de conservadores egípcios protestaram contra a trama nas redes sociais, acusando Zaki de “representar negativamente a mulher egípcia”.

A controvérsia está profundamente relacionada ao machismo e à misoginia da sociedade egípcia. Como era de se esperar, os homens representam a maioria dos críticos.

Perfeitos Desconhecidos também foi criticado pela inclusão de um personagem gay. No filme, Rabie é interpretado por Fouad Yammine.

Ele é caracterizado de maneira simpática. O filme não o condena em nenhum momento. Muitos conservadores estão acusando o longa de ‘normalizar a homossexualidade’”, explica Fahim.

Embora a homossexualidade não seja tecnicamente ilegal no Egito, ainda é bastante condenada pela sociedade. Membros da comunidade LGBTQIA+ enfrentam perseguições e abusos das forças policiais e militares do país, de acordo com a organização Human Rights Watch.

Acho que os ataques à comunidade LGBTQIA+ podem ser vistos como parte do grande ataque à liberdade de expressão”, afirmou Mirette Mabrouk, o diretor de uma organização social.

Segundo o especialista, o ódio do governo por minorias aumentou muito nos últimos 10 anos, e faz parte dos esforços conservadores para preservar “valores islâmicos tradicionais”.

O atual regime deseja punir a indústria do entretenimento, e forçá-la a adotar os valores tradicionais islâmicos”, avalia o jornalista Joseph Fahim.

Perfeitos Desconhecidos está disponível no catálogo da Netflix.

Publicidade