Mais do que você gosta.

Publicidade

Atacou estúdio

Filme de Johnny Depp causa polêmica e diretor critica estúdio

Cineasta não concorda com decisão da MGM sobre Minamata

Publicado por Bruno Tomé

27/07/2021 10:54

Minamata, filme estrelado por Johnny Depp, passa por polêmica pela falta de lançamento. O diretor Andrew Levitas acusa a MGM de “enterrar” o filme simplesmente pelo astro ser o protagonista.

Nos últimos anos, Johnny Depp tem passado por um momento delicado na vida pessoal. Após o divórcio com a atriz Amber Heard, os dois famosos trocam acusações de violência doméstica.

Continua depois da publicidade

Com a vida focada nos processos, Johnny Depp passou a perder importantes papéis. Antes, o astro de Piratas do Caribe deixou a franquia de Animais Fantásticos, em que foi o vilão Grindelwald.

Agora, Johnny Depp vê o filme Minamata nem chegar aos cinemas dos EUA, mesmo após uma recepção positiva em festivais. Incomodado com a situação, Andrew Levitas publicou uma carta aberta para MGM, criticando o estúdio e defendendo o astro dele.

No filme biográfico, Johnny Depp interpreta o fotógrafo Eugene Smith, que viaja ao Japão nos anos 1970 para investigar e documentar os efeitos de envenenamento de mercúrio em comunidades do litoral do país.

Diretor defende Johnny Depp e ataca estúdio

Levitas aponta na carta que a MGM decidiu comprar os direitos do filme após ver a exibição no Festival de Berlim. O diretor escreveu o texto após descobrir a decisão do estúdio de não lançar o longa nos cinemas dos EUA.

“MGM tinha a intenção de mostrar a história de milhares de vítimas de um dos maiores casos de poluição industrial que o mundo já viu. Ao demonstrar novamente a dor com esse filme, essa comunidade esperava apenas uma coisa – levantar a história para que outras pessoas inocentes não sofram o mesmo. E parecia que com a parceria da MGM, esse desejo se tornaria realidade após uma década”, começou o diretor.

Depois, o cineasta revelou que teria ouvido de Sam Wollman, vice-presidente da MGM, que o estúdio decidiu “enterrar o filme”. Levitas se disse devastado.

“MGM estava preocupada com a possibilidade que os problemas na vida pessoal de um ator poderiam trazer um reflexo negativo e o estúdio, assim, colocou o sofrimento e a dor daquelas famílias em segundo plano”, completou o profissional.

Por fim, o diretor comparou a ação do estúdio com a empresa Chisso, envolvida no caso apresentado no filme. Para Levitas, a vida pessoal de Johnny Depp não deveria se tornar justificativa para uma decisão como essa.

“Diga para as famílias que sofreram com o envenenamento e faça-os entender o motivo da vida pessoal de um ator ser mais importante que as suas crianças, pais e irmãos mortos, além de todas vítimas da poluição industrial”, destacou o cineasta, esperando que o estúdio termine tomando outra decisão.

Com essa polêmica, Minamata, estrelado por Johnny Depp, segue sem previsão de estreia.

Publicidade