Mais do que você gosta.

Publicidade

Arrependimento

Homem que trabalhou com O Golpista do Tinder se sente um “porco” após crimes

O vigarista Simon Leviev não agia sozinho para enganar as vítimas no documentário da Netflix

Publicado por Alexandre Guglielmelli

11/02/2022 08:00

O lançamento de O Golpista do Tinder deixou a internet em polvorosa. Além de figurar no Top 10 da Netflix, o documentário provocou debates nas redes sociais e revelou importantes informações sobre o vigarista Simon Leviev. Após a estreia do longa, personagens desconhecidos da trajetória do criminoso vieram à tona – e um deles, afirmou estar completamente arrasado com as revelações.

“Ele se passava por um magnata do ramo dos diamantes, conquistava mulheres na internet e roubava milhões de dólares delas. Agora, algumas vítimas querem vingança”, afirma a sinopse de O Golpista do Tinder na Netflix.

Continua depois da publicidade

Para aplicar golpes em diversas mulheres, Simon Leviev não agia sozinho. O criminoso também enganava amigos, conhecidos e funcionários, que acreditavam estar trabalhando para um verdadeiro magnata.

Em uma entrevista ao podcast Making of a Swindler, criado pela diretora do documentário, o antigo motorista de Simon falou sobre o golpista e sobre sua reação ao descobrir os crimes do patrão.

O que o ex-motorista revelou sobre O Golpista do Tinder

Os golpes de Simon Leviev envolviam uma grande ilusão de riqueza e glamour, incrementada por funcionários como o chofer londrino que transportava o Golpista e suas vítimas pela cidade.

Mesmo presenciando Simon com inúmeras mulheres, o motorista nunca desconfiou das verdadeiras intenções do patrão. Na verdade, ele acreditava que o vigarista era apenas “mais um cara rico e excêntrico”.

Em sua entrevista ao podcast de Felicity Morris, o motorista identificado apenas como Jamal, discutiu sua reação ao descobrir a verdade.

“Eu me senti como um verdadeiro porco. Estar envolvido em algo assim, e encorajar o Simon a fazer o que ele fez… Posso dizer que teve um grande efeito sobre mim. Não é algo legal. É nojento”, comentou Jamal.

Como Jamal já trabalhava há um bom tempo como chofer em Londres, não costumava desconfiar de sua rica clientela.

“Realmente achei que o Simon era só um cara safado. Pensei que ele era só um jovem rico, fazendo sacanagens com todo mundo”, explicou o motorista.

O alcance dos golpes de Simon Leviev – cujo nome real é Shimon Hayut – ainda é desconhecido.

De acordo com as estimativas do documentário da Netflix, o criminoso pode ter ganhado mais de 7 milhões de euros – aproximadamente 41 milhões de reais – com os golpes do Tinder.

Na época, Shimon chegou a oferecer um emprego fixo para Jamal, com um salário de 7 mil euros. Mas como era de se esperar, a proposta não se materializou.

“Vocês precisam entender uma coisa: o Simon é muito carismático. Ele faz você querer andar com ele o dia todo”, explicou Jamal.

Na entrevista ao podcast, Jamal também afirma se lembrar de Cecilie Fjellhoy, uma das vítimas de Simon. Ele descreve a jovem norueguesa como “muito inocente”.

Ao final da entrevista, Jamal se mostrou extremamente arrependido por ter trabalhado com Simon, mesmo sem conhecer os golpes do criminoso.

“Ele estava machucando essas pessoas. Machucando a vida financeira e o estado emocional delas. Ele também fez isso comigo, com promessas que nunca iria cumprir. É nojento! Por que alguém faria algo assim?”, concluiu Jamal.

O Golpista do Tinder está disponível na Netflix.

Publicidade