Mais do que você gosta.

Publicidade

Lançamento

Netflix repete o pior erro de Game of Thrones em filme

Zona de Combate decepciona com vilão de Pilou Asbaek

Publicado por Alexandre Guglielmelli

23/04/2021 19:00

Atenção! Contém spoilers de Zona de Combate.

De 2011 a 2019, Game of Thrones se estabeleceu como a série mais famosa e assistida do mundo. A produção da HBO mudou a cara do cenário televisivo e abriu as portas para ainda mais projetos épicos em plataformas como a Netflix.

O final da série dividiu a opinião dos fãs, principalmente pelo encerramento antecipado de tramas que ainda poderiam ser bem melhor desenvolvidas.

Continua depois da publicidade

Um dos maiores erros de Game of Thrones foi a caracterização do vilão Euron Greyjoy, vivido por Pilou Asbæk. Agora, um filme do ator dinamarquês na Netflix sofre com o mesmo problema, de acordo com o site Screen Rant.

Confira abaixo tudo sobre o problema do filme Zona de Combate!

Erro familiar na Netflix

A Netflix acaba de lançar seu mais novo filme de ação: Zona de Combate. Infelizmente, segundo o site Screen Rant, o longa comete grandes erros com a caracterização de seu principal antagonista, assim como fez Game of Thrones em suas últimas temporadas.

Tanto o filme quanto a série contam com o ator dinamarquês Pilou Asbæk como um dos principais antagonistas. Em Game of Thrones, o astro viveu o pirata Euron Greyjoy, e em Zona de Combate, o ator interpreta o temido terrorista Victor Koval.

A maior parte da trama de Zona de Combate aborda a busca por Victor Koval, o líder de um perigoso grupo terrorista russo que semeia discórdia e caos na região da Ucrânia.

No início do filme, o personagem supostamente procura por armas nucleares para lançar uma ataque aos Estados Unidos.

Infelizmente, o terceiro ato de Zona de Combate destrói grande parte da caracterização temida de Koval feita nas partes anteriores do filme.

O personagem acaba aparecendo em apenas uma cena breve, na qual dá uma risada maléfica, filosofa sobre guerra e tecnologia e é rapidamente morto por Leo, que também procura pelas armas químicas.

O propósito de Koval no longa, assim, se torna apenas uma pista falsa, criada para distrair o público das verdadeiras intenções de Leo.

É claro que Zona de Combate não representa o único papel de vilão de Pilou Asbæk a ficar longe do potencial, o que é evidenciado pelas últimas temporadas de Game of Thrones.

Euron Greyjoy foi subutilizado, e relegado a um papel muito pequeno nas temporadas finais de Game of Thrones, uma mudança bastante criticada pelos fãs dos livros, nos quais o personagem tem uma importância muito maior.

Nos dois casos, o papel do vilão é criar medo e ameaçar simplesmente com sua aura e energia. E nas duas situações, essa aura é destruída pela utilização inadequada do personagem e a falta de motivações.

Esse não é um novo fenômeno relacionado com o arquétipo do antagonista misterioso, mas acabou prejudicando (e muito) os personagens de Pilou Asbæk em projetos recentes do ator.

Zona de Combate está disponível na Netflix.

Publicidade