Mais do que você gosta.

Publicidade

Controvérsia

O polêmico beijo gay de Lightyear, derivado de Toy Story

Novo filme da Pixar está dando o que falar nas redes sociais

Publicado por Alexandre Guglielmelli

17/06/2022 21:30

Lightyear se estabelece como um passo importantíssimo para a representatividade nos filmes da Disney. Afinal, o longa traz o primeiro beijo gay da Pixar. O rápido momento foi recebido com alegria pela comunidade LGBTQIA+ e por todos que valorizam a diversidade. Porém, sua inclusão causou uma grande polêmica nos bastidores.

Lightyear acompanha o lendário patrulheiro espacial após ser abandonado em um planeta hostil a 4,2 milhões de anos-luz da Terra ao lado de sua comandante e sua equipe”, afirma a sinopse oficial do novo longa.

Continua depois da publicidade

O elenco de Lightyear conta com Chris Evans (Capitão América) como a voz do protagonista. O rol de dubladores também inclui Keke Palmer (Scream Queens), Taika Waititi (Thor: Ragnarok), Bill Hader (Barry), James Brolin (Westworld) e Uzo Aduba (Orange is the New Black).

Explicamos abaixo tudo que você precisa saber sobre o beijo gay de Lightyear e a polêmica causada pela reação à cena.

Por que o beijo gay de Lightyear causa tanta polêmica?

O beijo gay de Lightyear é um momento extremamente rápido, mas mesmo assim, representa um dos elementos mais importantes da diversidade na Pixar.

Há muito tempo, a companhia tenta aumentar a representatividade em seus filmes. Porém, em todos os projetos, a diversidade acaba jogada para escanteio.

Algo parecido quase aconteceu em Lightyear. Originalmente, o beijo gay seria cortado, a pedido dos próprios representantes da Disney.

O beijo em questão acontece entre Hawthorne – a personagem de Uzo Aduba – e sua esposa.

Há alguns meses, a Disney tomou a decisão de cortar o beijo gay de Lightyear. O pedido teria acontecido em meio à discussão da ‘Don’t Say Gay’ (Não Diga Gay), uma proposta de lei com fortes contornos homofóbicos.

Na época, a sugestão do corte deixou os funcionários da Disney injuriados. Segundo a revista Variety, os colaboradores da empresa fizeram inúmeras críticas e planejaram uma paralisação em protesto.

Como resultado dessa paralisação, os representantes da Disney voltaram atrás e decidiram reincluir o beijo gay em Lightyear.

Após a Disney decidir não cortar o beijo gay do longa de Toy Story, o filme foi banido de vários países.

Nações conservadores e ultrarreligiosas – como a Arábia Saudita, a Malásia, o Qatar e os Emirados Árabes Unidos – proibiram a exibição do longa.

Essa não é a primeira vez que projetos da Disney viram alvos de censura no Oriente Médio. Filmes como Eternos e o remake live-action de A Bela e a Fera também foram vítimas da intolerância religiosa.

Mas essa intolerância não vem só dos países islâmicos. Após o lançamento da série Ms. Marvel, um grupo cristão americano também pediu o cancelamento da produção.

Em uma entrevista recente, Chris Evans falou sobre o boicote a Lightyear e deu todo o apoio à representatividade na Pixar

“É uma honra fazer parte de algo que está dando esses passos, mas o objetivo é olhar para trás e ficar chocado por termos demorado tanto para chegar lá”, comentou o ator.

Lightyear está em cartaz nos cinemas brasileiros. O filme não deve demorar a chegar ao catálogo do Disney+. Clique aqui para assinar a plataforma.

Sobre o autor

Alexandre Guglielmelli

Alexandre Guglielmelli

Formado pela PUC Minas, sou especialista em filmes de terror, reality shows e cultura pop. Nas horas vagas, gosto de escrever e oferecer indicações de filmes e séries para os amigos.

Publicidade