Mais do que você gosta.

Publicidade

Contém spoilers

Resident Evil: Bem-Vindo a Raccoon City agrada fãs que adoram violência

Revelado se o filme de terror é realmente assustador

Publicado por Alexandre Guglielmelli

03/12/2021 11:00

Resident Evil: Bem-Vindo a Raccoon City já está em cartaz nos cinemas brasileiros, e embora não tenha conquistado a crítica especializada, já faz muito sucesso com os fãs. Um dos principais trunfos do longa é a maneira que ele aborda cenas violentas e assustadoras. Ou seja, o longa é uma boa pedida para quem deseja acelerar o coração com muitos sustos e tensão.

Dirigido e escrito por Johannes Roberts, o filme adapta os dois primeiros jogos da Capcom. Bem-Vindo a Raccoon City é o sétimo filme de Resident Evil a chegar aos cinemas, mas por se tratar de um reboot, não tem conexão com a saga de Milla Jovovich.

Continua depois da publicidade

“Outrora o lar da gigante farmacêutica Corporação Umbrella, Raccoon City é agora uma moribunda cidade do meio-oeste americano. O êxodo da companhia transformou o local em um deserto… com um mal terrível borbulhando sob a superfície”, afirma a sinopse da produção.

O site Screen Rant avaliou as cenas do novo Resident Evil e explicou se o filme é realmente assustador; veja abaixo.

Resident Evil: Bem-Vindo a Raccoon City assusta mesmo?

Primeiramente, é importante citar a classificação indicativa de Resident Evil: Bem-Vindo a Raccoon City recebeu no Brasil a classificação de “não recomendado para menores de 16 anos” por violência extrema, drogas lícitas e linguagem imprópria.

Como a adaptação do game é ambientada em um apocalipse zumbi, fãs podem esperar por cenas realmente violentas.

Assim que os zumbis começam a aparecer, qualquer pessoa azarada o suficiente para ser capturada por eles encontra seu fim de maneira brutal e sangrenta.

O caráter de ficção científica de Resident Evil também permitiu que o filme criasse bizarras cenas de horror corporal – discutivelmente as mais assustadoras da trama.

Uma cena em especial, deixou os espectadores enojados ao mostrar uma cobaia humana dissecada nos laboratórios da Corporação Umbrella.

Além disso, o vilão Birkin, interpretado por Neal McDonough – que passa todo o terceiro ato do filme mostrando transformações bizarras nas criaturas – tem um encontro extremamente violento no clímax do longa.

Resident Evil: Bem-Vindo a Raccoon City é um filme violento, mas será que também é assustador? De acordo com o Screen Rant, o filme tem um tom bem mais sinistro que o da franquia de Milla Jovovich.

Grande parte da trama acontece à noite e em áreas subterrâneas de Raccoon City, um ambiente perfeito para os maiores sustos.

O filme explora todas as oportunidades para assustar os espectadores, e utiliza à exaustão a técnica dos jump scares.

Para quem não sabe, a técnica dos jump scares (pulos de susto em tradução literal), é um dos blocos de construção mais básicos dos filmes de terror.

Essas cenas são produzidas com o intuito de assustar o público, surpreendendo-o com uma mudança abrupta de imagem, que geralmente ocorre acompanhada de um som alto e assustador.

O filme também se destaca por oferecer aos fãs inúmeras referências ao game original, tanto na trama quanto nos personagens, passando pelas criaturas e cenários.

Resident Evil: Bem-Vindo a Raccoon City já está em cartaz nos cinemas brasileiros; veja abaixo o trailer.

Publicidade